Saúde do Rio cria normas para evitar desperdício de vacinas; confira

Após receber denúncias de desperdício de vacina no Rio, pasta da Saúde determina novas regras para evitar descarte do imunizante; confira

Nesta semana chegaram denúncias de desperdício de doses da vacina Oxford à Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro . Segundo as denúncias apuradas, doses da vacina contra Covid seriam descartadas porque não havia em quem aplicá-las.

Veja também: Apesar de 109 mil vacinados, Rio pode descartar doses de vacina; confira

Saúde do Rio cria normas para evitar desperdício de vacinas Imagem: Reprodução Instagram @saude_rio Saúde do Rio cria normas para evitar desperdício de vacinas Imagem: Reprodução Instagram @saude_rio

Assim, a Secretaria de Saúde determinou um conjunto de procedimentos para impedir que novas doses da vacina sejam descartadas por não haver público para tomá-las. Dessa forma, o órgão público espera minimizar as perdas do imunizante.
Com frascos multidoses e rápida deterioração, vacina pode ser desperdiçada
Um dos maiores problemas identificados nesta questão do desperdícios de doses da vacina Oxford/Astrazeneca é a embalagem do imunizante. Assim, a farmacêutica envia frascos que contém dez doses de vacina.

Logo, uma vez aberto o frasco; as doses serão aplicadas em até seis horas; porque o imunizante passa por rápida deterioração. Ou seja, trata-se de uma corrida contra o relógio.

Dessa forma, o início da vacinação nos profissionais de saúde com mais de 60 anos foi o marco necessário para observar esta falha logística no plano de vacinação. Assim, a pasta da Saúde determinou novos procedimentos para garantir que houvesse o menor desperdício possível das doses imunizantes.
Prefeitura espera vacinar toda população idosa até março
Por outro lado, ao passo que segue o calendário de vacinação dos profissionais de saúde com mais de 60 anos; se inicia a vacinação da população em geral, começando pelos maiores de 80 anos.

Na expectativa de receber doses da CoronaVac na próxima semana, a prefeitura do Rio estabeleceu como meta vacinar todos acima de 60 anos até o fim do mês de março. Além da remessa da vacina produzida pelo Instituto Butantã, em São Paulo; uma nova carga chegará da Fiocruz nos próximos dias.

Segundo o prefeito Eduardo Paes, “Final do mês de março, veremos se a gente consegue toda população acima dos 60 anos já vacinada. Meu apelo é para que a gente cuide dos nossos idosos, nossos coroas”, disse o chefe do executivo municipal.
As novas regras para vacinação no Rio
Dessa forma, o poder público definiu novos procedimentos para combater o desperdício de doses da vacina Oxford/Astrazeneca. Assim, toda a rede pública de saúde do estado do Rio de Janeiro recebeu as novas orientações.

De acordo com as normas estabelecidas para evitar desperdício, existe a recomendação de que abram os frascos multidoses no início do dia, para dar tempo de não perder a propriedade farmacológica.

Por outro lado, caso cheguem pessoas para receber a vacina no fim do dia, o indicado é que a unidade de saúde abra frascos de dose única, que é o caso da Coronavac, para evitar desperdício.

Em entrevista concedida à imprensa, o Secretário de Saúde Daniel Soranz afirmou ainda pormenores dos critérios. Assim, ele esclarece qualquer dúvida que haja quanto ao plano de vacinação no Rio.

Segundo o secretário, “Caso isso aconteça, os profissionais estão autorizados a aplicar essas vacinas em outras pessoas que necessitam, dentro da unidade ou na região.” , especificou o chefe da pasta.

“Mas a recomendação é que eles evitem que isso aconteça. Isso é uma exceção para não se perder dose, e para isso acontecer, tudo estará devidamente documentado para que não seja motivo para as pessoas furarem a fila”, disse Soranz.

Veja também: No Rio, Polícia e MP juntam forças para combater “fura-filas” da vacina

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies