Take a fresh look at your lifestyle.

Instituto Zeca Pagodinho cria projeto de incentivo para moradores da Baixada Fluminense criarem curtas metragens

Veja projeto de curtas da Baixada Fluminense

Rio de Janeiro, 09 de julho de 2022, por Priscila Lívia — Veja mais sobre Instituto Zeca Pagodinho cria projeto de incentivo para moradores da Baixada Fluminense criarem curtas metragens. Entenda no blog Diário prime qual a grande importância desse evento e como você pode assistir.

Confira, Instituto Zeca Pagodinho cria projeto de incentivo para moradores da Baixada Fluminense criarem curtas metragens: cinema brasileiro na mão do povo

O cinema brasileiro é muito subestimado pelo seu próprio povo. Por isso, os projetos como o do Instituto Zeca Pagodinho têm uma grande importância. Em especial, para as futuras gerações, que herdarão a identidade cultural deixada aqui por nós.

Jovens na produção cultural do país

O projeto nomeado como Cinema Leva Eu tem como público-alvo os jovens da região. O Instituto pretende dar formação na área audiovisual para eles. Além disso, o objetivo principal é democratizar o acesso à produção cinematográfica brasileira.

Já que tem um cunho social tão importante, transporte e alimentação será fornecida aos estudantes. Ademais, também será investido muito na inclusão social de pessoas negras. Afinal, elas integram a maior parte da população e da história brasileira.

Assim, espera-se enfatizar a importância e a riqueza que temos dentro do nosso país. Portanto, todo o processo acontece de forma gratuita, bem como sua apresentação final. Sobretudo, os temas buscam recriar a história da região.

Como se deu a organização do projeto?

Primeiramente, as turmas divididas em duas. Uma delas foca-se no que há por trás das câmeras. Isto é, na produção, que engloba roteiro, direção, arte, fotografia etc. Já a outra foca-se na frente das câmeras, ou seja, os atores.

“Porque a gente queria resgatar histórias da Baixada, contadas por moradores da Baixada, interpretadas por moradores da Baixada, dirigidas por moradores da Baixada. Foi a realização de um sonho mesmo”, descreve Louiz da Silva, diretor-geral do Instituto Zeca Pagodinho.
“O cinema vai levar a Baixada para as telas do Brasil, e eu vou junto”, acrescenta dizendo uma aluna do projeto do zeca.

Ainda que a segunda turma seja composta por apenas um setor, ela não deixa de ser complexa. Afinal, é contemplada com aulas de voz e trabalham o fonoaudiológico. Atuar, sobretudo, exige empenho e coordenação das emoções, do corpo e da mente.

No final do curso, os trabalhos elaborados apresentados gratuitamente para a comunidade. As novas turmas irão abrir no dia 28/07/2022. Então, o projeto segue com toda a força, incentivando a valorização da cultura.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.