Morre Mr. Catra em São Paulo, funkeiro deixa 3 esposas e 32 filhos

Mr Catra
0

O mundo do funk e o Brasil foram surpreendidos por uma notícia lamentável, o funkeiro Mr. Catra acaba de falecer na tarde deste domingo (09), na cidade de São Paulo. O artista estava internado no Hospital do Coração e lutava contra um câncer.

O motivo da morte do Mr Catra foi divulgado pela assessoria do cantor, que ratificou que Catra foi vítima de um “câncer gástrico”. O artista deixa três esposas e 32 filhos.

Vários famosos na internet se manifestaram a respeito do ocorrido. Catra ganhou o mundo do funk com letras de músicas para lá de ousadas, inclusive, era conhecido por ter um “enorme coração”, generoso, gostava de ajudar as pessoas e sempre procurava estender as mãos aos mais necessitados.
Biografia de Mr Catra segundo Wikipédia.
Mister Catra, nome artístico de Wagner Domingues Costa (Rio de Janeiro, 5 de novembro de 1968 — São Paulo, 9 de setembro de 2018), foi um compositor, cantor e rapper brasileiro. Morreu em decorrência de um câncer gástrico

Carreira
Em meados da década de 1980, como guitarrista, montou uma banda de rock denominada O Beco, que chegou a fazer um relativo sucesso em festas particulares, escolas e faculdades.

Na década de 1990, em parceria com o ex-VJ da MTV, o paulista Primo Preto (que havia lhe conseguido um contrato com a Zâmbia Records, gravadora independente de São Paulo, responsável pelos primeiros discos dos Racionais MC’s), criou a empresa Rapsoulfunk, como gravadora, grife de moda e organizadora de bailes funk e shows de hip hop no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Em 1994, lançou seu primeiro disco “O Bonde dos Justos”, emplacando o hit “Vida na cadeia”. As canções de temas fortes chamaram a atenção da Warner Music que lançou, em 1999, o CD “O fiel”.

Em 2001, juntamente com MV Bill, lançou o Partido Popular Poder para a Maioria (PPPomar), o qual abandonou no ano de 2002 por divergências com Celso Athayde, proprietário da Produtora Hutus e empresário de MV Bill e dos Racionais MC’s. Ainda em 2002 foi indiciado por apologia ao crime, devido às letras de suas músicas, principalmente a da composição “Cachorro”, um de seus maiores sucessos, que versa sobre policiais corruptos. Sobre o assunto ele esclareceu posteriormente em entrevista: “Não sou cúmplice do crime, sou cúmplice da favela. Não estou fazendo apologia ao crime, estou é relatando uma realidade.”

Com informações de Wikipédia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de privacidade e cookies