A Fundação Municipal da Infância e da Juventude, (FMIJ), de Campos dos Goytacazes/RJ, lançou sua mais nova campanha contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O dia escolhido foi 18 de maio, dia em que se comemora a luta contra o abuso e exploração sexual infanto-juvenil.  A campanha virtual encerrará dia 22.

 

Cada dia, a programação inclui. formas diferentes de divulgação.no priemiro dia aconteceram  postagens sobre o tema com orientações sobre violência sexual, postagens de vídeos animados sobre o tema. Hoje, 19, será mostrado como funciona toda a rede de proteção à criança e ao adolescente. Além disso, também será mostrado como a sociedade deve se mobilizar para fazer denúncias, se houver casos.

 

Na quarta-feira, 20, será mostrado um histórico de todas as ações que já foram feitas para proteção e os trabalhos de conscientização, realizados nas campanhas dos anos anteriores. Além disso, ainda está programado a gravação de vídeos para o esclarecimento de dúvidas sobre o tema, com o profissionais da “FortaleSer”.

Dados da prefeitura de Campos dos Goytacazes

Segundo site da prefeitura, até o momento, o instituto FortaleSer têm acompanhado mais de 195 crianças e adolescentes. Todos que foram vítimas de abuso sexual, na cidade de Campos. Só no município, desde o início de 2020 já foram 16 casos denunciados. 

 

A presidenta do FMIJ, Sana Gimenes, afirmou que a campanha virtual é uma forma de Se adaptar à nova realidade que o COVID-19 impôs a sociedade. E salientou que um tema de tamanha importância não pode deixar de ser discutido e compartilhado.

 

Estamos nos adaptando à nova realidade criada pela pandemia do Covid-19. Nos últimos anos fizemos grandes campanhas, seminários com autoridades para discutir o tema e buscar formas cada vez mais eficazes de envolver a sociedade no enfrentamento. Neste ano, usaremos o mundo virtual para compartilhar as informações e conscientizar as pessoas. Um tema de tamanha relevância precisa ser levantado, discutido e compartilhado.”.

 

Abusos e violência no Brasil

 

Entretanto, o Brasil vive outros problemas decorrentes da pandemia. Dentre eles, um que também se tornou um problema de saúde: a crescente taxa de abusos e violência doméstica. Desde o início do isolamento social, a taxa de violência doméstica e abusos cresceu, em média, 20%. Mulheres e crianças tem sofrido abusos e violência doméstica.

 

Pais, maridos, tios, primos, irmãos, são os principais abusado denunciados pelas vítimas. Muitos temem fazer a denúncia. Contudo, muitos artistas e personalidades políticas e, até mesmo, empresárias têm se envolvido com a causa. Todos tem usado suas redes e se colocado a disposição para ajudar vítimas de aviso.

 

Além disso, as redes sociais também tem sido uma grande arma para ajudar na denúncia de abusos, ou ainda, ajudar em um processo de cura psicológica. Páginas feministas nas redes sociais, tratam sobre o tema abertamente e colocam avião de gatilhos mentais. 

 

Principalmente em tempos de epidemia do coronavírus, muito se tem tratado sobre o uso de ferramentas virtuais para todos os tipos possíveis de tratamento. Além disso,  os movimentos sociais tem ajudado mulheres crianças e adolescentes a identificarem o que é abuso e violência doméstica.

 

Iniciativas como a do projeto FMIJ, de conscientização da população, também são de grande valia, principalmente sobre a conscientização da população para os risco crescente da violência doméstica e abusos. 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here