Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

- Publicidade -

O que significa o retorno da bandeira amarela em Curitiba?

Com menos da metade de casos ativos de Covid-19 em relação às piores semanas de novembro e dezembro. Curitiba efetuou na última quinta-feira (28), sua sexta mudança de bandeira desde o início da pandemia. A volta à bandeira amarela, publicada em decreto na quarta-feira. Mas o que significa o retorno da bandeira amarela?

Portanto, continue lendo em nosso blog: Avenida Afonso Pena Fechou Em Belo Horizonte Por Protestantes

retorno da bandeira amarela
De fato Curitiba teve o retorno da bandeira amarela. (Imagem: Pixabay)

Então, o retorno da bandeira amarela estabelece medidas de restrição de comércio e circulação mais brandas. Mas, mesmo com a melhora, a cidade ainda tem média de novos casos semelhantes às das piores semanas da pandemia. Sendo assim, os cuidados ainda são muito necessários.

Retorno da bandeira amarela

Pois bem, os números indicam que, de fato, a cidade vive uma situação bem mais controlada que em novembro e dezembro. Onde ocorreu o auge da pandemia na capital. Na última quarta-feira, quando a prefeitura anunciou a mudança, a cidade registrava 6.539 casos ativos.

Sendo que 403 deles foram registrados nas 24 horas anteriores. Esse é o número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. Entretanto, a taxa de ocupação dos leitos de UTI SUS exclusivos para tratar Covid-19 bateu os 85%. Dos 371 existentes, estão livres 56.

Há dois meses, quando a gestão municipal apertou as medidas de restrição, optando pela bandeira laranja. A cidade registrava números de novos casos da doença que cercavam as 1,5 mil infecções diárias.

Já o número de casos ativos antes do retorno da bandeira amarela era quase o dobro dos atuais, cerca de 12.973 pessoas com potencial de transmissão. A ocupação de leitos exclusivos também era pior: 93% dos 339 leitos disponíveis.

Portanto, nos últimos dez dias, a cidade vem registrando diariamente queda na média de infecções em 7 dia. O que chamam de de média móvel. Apesar disso, os números atuais estão próximos aos de outras semanas em que a prefeitura optou por apertar, e não afrouxar, as medidas.

Essa evolução é de fato tratada de forma mais complexa para determinar a mudança ou não da bandeira. A prefeitura utiliza um conjunto de indicadores, como incidência da doença por 100 mil habitantes, leitos disponíveis e taxa de replicação. Que é quantas pessoas um portador de Covid pode infectar.

Além disso, a própria Secretaria Municipal de Saúde prega o discurso de necessidade de manutenção dos cuidados. Estamos em um momento de estabilidade, mas ainda sim é necessária atenção.

Leia mais: Bolsonaro determina que clubes continuem pagando dívidas do Profut

Bandeiras em Curitiba

Curitiba de fato teve o retorno da bandeira amarela. Durante toda a pandemia, a cidade foi alternando entre a amarela e a laranja. Sem a necessidade de optar pela bandeira vermelha. Cada bandeira possui um grau de contágio pela doença. Sendo amarela significando alerta, a laranja é alerta de risco médio e a vermelha é alerta de risco alto.

Mas como o diretor do Centro de Epidemiologia da prefeitura de Curitiba, o médico Alcides de Oliveira, descreveu o momento. Estamos em um momento de estabilidade, mas não em uma situação confortável com o retorno da bandeira amarela.

Então, leia mais:  Abertas As Inscrições Para Estágio Na Prefeitura De Belo Horizonte

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.