Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

- Publicidade -

Durante boletim da Covid, Prefeito do Rio afirma: “fechar escolas, só em último caso”

Durante o boletim informativo sobre a pandemia de Covid e a vacinação no Rio; prefeito Eduardo Paes afirma que mantém calendário das escolas

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou nesta sexta feira (29) especificações sobre um eventual “lockdown” na capital carioca. Assim, a fala do prefeito deixou claro que as escolas serão as últimas a fechar, caso ocorra novo confinamento.

Veja também: Volta às aulas em Blumenau 2021 já tem data definida; confira

Durante boletim da Covid, Prefeito do Rio afirma: "fechar escolas, só em último caso" Imagem: Reprodução Instagram @sme_rio
Durante boletim da Covid, Prefeito do Rio afirma: “fechar escolas, só em último caso” Imagem: Reprodução Instagram @sme_rio

O pronunciamento aconteceu durante a divulgação do chamado “Boletim da Covid”, boletim semanal onde o governo municipal atualiza as informações sobre a pandemia e o plano de vacinação.

“Vamos inverter essa lógica”

Durante a divulgação dos dados atualizados sobre a pandemia de Covid, o prefeito Eduardo Paes resolveu abordar hipóteses sobre um novo confinamento na cidade do Rio de Janeiro.

De acordo com o prefeito, a hipótese de retorno do “lockdown” na pandemia existe; mas desta vez a lógica aplicada às etapas de do confinamento será mudada. Assim, Paes listou as prioridades de fechamento de estabelecimentos.

Segundo o prefeito carioca, “Se tiver que fechar, vai fechar o comércio antes, vai fechar academia antes, a piscina antes, a praia antes.”, afirmou em seu pronunciamento nas redes sociais.

“Vamos inverter essa lógica maluca que se inventou no Brasil que a gente vai abrindo tudo e as escolas ficam fechadas. Então, nós vamos inverter isso: a escola vai ficar aberta e vai ser a última a fechar.“, disse Eduardo Paes.

Leia mais: Apesar da pandemia, Rock in Rio 2021 é marcado para setembro

“Uma geração de analfabetos na pandemia”

Outra afirmação polêmica proferida pelo prefeito da Cidade Maravilhosa diz respeito à projeção de que, nestes tempos de pandemia, uma geração de crianças poderia crescer analfabeta por não ir à escola.

Segundo o chefe do executivo municipal, “A gente já tem uma pandemia que tem trazido morte a muita gente e a gente não precisa matar uma geração de crianças que não vão conseguir se alfabetizar, que não vão ter um aprendizado adequado. Chega. Isso tem que ser prioridade e é assim que a Prefeitura do Rio vai caminhar“, disse Paes.

Escolas abertas e casos em alta

Assim, dadas as afirmações do prefeito durante o informativo epidemiológico, Eduardo Paes coloca em xeque a própria avaliação dos órgãos públicos sobre a situação da pandemia na cidade.

Enquanto o prefeito mantém o calendário escolar à revelia do plano de vacinação; as 33 regiões administrativas da capital fluminense sofrem com a alta de casos de coronavírus. Assim, é a segunda semana seguida que os números demonstram alta alarmante.

De acordo com o calendário traçado pela Secretaria de Educação do município, as aulas da rede pública do Rio de Janeiro estão marcadas para iniciar dia 08/02, ainda em modalidade à distância. No entanto, as atividades presenciais devem iniciar dia 24/02, num sistema de escalonamento.

Por outro lado, a rede privada de ensino pode retomar seu calendário escolar presencial a partir do dia 1º de fevereiro. Entretanto, ainda não há certeza de retorno por parte das escolas particulares neste peíodo.

Veja também: Secretaria de Saúde cria normas para evitar desperdício de vacinas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.