Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

- Publicidade -

Modalidade da Caixa: empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa sofre mudanças; confira

Penhor da Caixa, empréstimo rápido sem consulta ao SPC e Serasa


O Diário Prime News não tem vínculo com nenhum banco ou instituição financeira. O objetivo do nosso blog é oferecer aos nossos leitores informações úteis, de qualidade e verídicas. Em caso de dúvidas fineza fazer contato pelo e-mail [email protected]. Se preferir pode fazer uma pergunta à nossa redação clicando aqui!

Como é sabido, uma grande massa de brasileiros está com o nome “sujo”, e claro, em  busca de opções no mercado para, assim, conseguir quitar as dívidas e regularizar a situação. Mas como obter recursos para limpar o nome no SPC e Serasa estando endividado? Nesse sentido, uma modalidade de empréstimo da Caixa, que foi modificada em alguns pontos, pode ser uma opção de crédito pessoal. Somente até fevereiro deste ano, quase 1,5 milhão de pessoas já tinham utilizado essa categoria de empréstimo: o penhor. Veja mais.

Entenda como funciona o penhor da Caixa, sem consulta ao SPC e Serasa

Penhor da Caixa, empréstimo rápido sem consulta ao SPC e Serasa Foto: divulgação
Penhor da Caixa, empréstimo rápido sem consulta ao SPC e Serasa Foto: divulgação
Siga o Diário Prime no Google News. Receba de graça os melhores conteúdos como TV Online , Loterias, Futebol ao Vivo, Finanças, Forex, em primeira mão.

O sistema de empréstimo por penhor não é uma novidade no mercado. Aliás, ele existe desde a década de 30.

Contudo, devido à crise econômica que assola o país há algum tempo, a procura por esse tipo de crédito tem sido cada vez maior. Isso porque é um empréstimo normalmente mais barato.

Leia mais: “Você no Azul” da Caixa permite diferentes formas de limpar nome no SPC e Serasa; confira

Basicamente o penhor da Caixa é uma modalidade de empréstimo direto, através do qual um objeto de valor, fica como garantia no cofre do banco. E o cliente, por sua vez, recebe o dinheiro na hora.

Penhor: valores, prazos, juros e recentes alterações

O valor mínimo do empréstimo é de R$ 50. O valor máximo é de até  85% do valor do bem penhorado. 

No entanto, vale ressaltar que o valor do crédito concedido, não pode ultrapassar a marca dos 50 mil reais.

Uma alteração recente diz respeito a chamada Unidade Pignoratícia (UP) ou índice-padrão; usado para fixar o valor de um grama de ouro, que passou de R$ 28,00 para R$ 33,00.

Essa alteração no preço valerá também para os contratos que forem renovados a partir de agora. Desse modo, o cliente que tomar novo empréstimo receberá valor maior em média.

Ademais, outra novidade são as taxas de juros que devem ficar apenas entre 2% a 2,25% mensais.

Contudo, além dos juros, a Caixa cobra também uma tarifa de risco, seguro e uma tarifa de avaliação e renovação.

Assim sendo, os prazos para pagamento total do empréstimo são de até 180 dias. Porém esse prazo pode ser renovado, se for necessário.

É importante também mencionar que, caso o cliente consiga pagar antes, haverá o devido abatimento dos juros.

Onde e por quem é feita a avaliação do bem?

A avaliação é feita por um funcionário especialista na própria agência de penhor do banco. Ele examinará o objeto e determinará o quanto pode ser emprestado.

Desse modo, ao quitar o empréstimo, é possível retornar ao mesmo local e retomar o bem deixado em garantia.

Inadimplência gera perda do bem

Vale também a ressalva sobre a inadimplência. Caso as parcelas do empréstimo não forem quitadas dentro do prazo, o objeto penhorado poderá ser leiloado em hasta pública.

Dessa maneira, trinta dias de atraso já serão suficientes para se perder o bem. Por isso deve-se buscar uma nova negociação antes do vencimento, quando se percebe que não se terá o recurso na data determinada.

Quais são os documentos necessários?

Para efetuar o penhor da Caixa, deve-se levar consigo os seguintes documentos:

  • RG;
  • CPF regularizado também na Receita Federal;
  • Comprovante de residência.

Veja ainda: “Lista negra”: nome limpo no SPC e Serasa, mas dificuldade de crédito com os bancos; entenda

Que tipos de objetos podem ser penhorados na Caixa?

A penhora é uma das atividades mais rentáveis da Caixa. Correspondendo a 20% da sua receita, conforme dados da FENAE (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal).

Exemplos de objetos que podem ser encaminhados para o Penhor da Caixa são:

  • Jóias;
  • Pérolas;
  • Metais preciosos;
  • Pratarias;
  • Diamantes lapidados;
  • Canetas (de valor);

Continue lendo: Cartão de crédito: anúncio do Nubank provoca Santander Free; saiba mais

Com efeito, cabe salientar que itens confeccionados com ouro devem ter acima de 12 quilates ou pelo menos 50% de ouro presente na peça.

Portanto só serão aceitos objetos com quilates inferiores, se tiverem um valor  expressivo ou realmente importantes em termos culturais e históricos.

Objetos com enchimentos de material não nobre, somente se for abaixo de 50%.

A Caixa, por sua vez, exige que se ateste a verdadeira propriedade para evitar penhora de bem roubado.

Micropenhor: modalidade para os cidadãos de baixa renda

O micropenhor é uma opção oferecida a pessoas de baixa renda. Pessoas essas que não possuem saldo médio mensal na conta corrente, poupança ou outra aplicação financeira acima de R$ 3 mil, em qualquer banco.

Nessa modalidade, as condições e garantias são basicamente as mesmas. No entanto o empréstimo é limitado a R$ 1 mil e a taxa de juros fica em 1,7% ao mês.


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!

Últimas Publicações