Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Saque do FGTS: boa opção para quem pensa em abrir um negócio

Para quem está esperando sacar o dinheiro do FGTS, investir em um pequeno negócio pode ser interessante. Confira algumas dicas.


O Diário Prime News é um blog independente, que não tem vínculo ou associação com nenhum banco, instituição financeira ou órgãos de proteção ao crédito, tais como SPC, Serasa, Boa Vista etc. Em caso de dúvidas fineza fazer contato pelo e-mail [email protected]. Se preferir pode fazer uma pergunta à nossa redação clicando aqui!

Com a intenção de governo em liberar os recursos das contas inativas e até mesmo as ativas do FGTS, investir na abertura de um pequeno negócio, pode ser uma opção interessante. Alguns brasileiros estão esperando o benefício para quitar dívidas e outros buscando formas de aplicar o recurso. Para quem está desempregado, o fundo de garantia pode gerar uma nova oportunidade de ganhar dinheiro.

Leia também: Conheça medidas que escolas e faculdades podem ou não tomar contra negativados no SPC/Serasa

Dinheiro do FGTS; uma boa opção para quem pensa em abrir um negócio
Dinheiro do FGTS; uma boa opção para quem pensa em abrir um negócio

Planejar o uso do dinheiro do FGTS é fundamental

Antes de dar um passo rumo ao empreendedorismo, é fundamental analisar friamente a situação.

Caso a pessoa esteja desempregada, é preciso ter em mente se ela está pronta para abrir um negócio, que envolve riscos, e que por sua vez, pode levar um certo tempo para dar resultados ou mesmo se está fazendo isso, exclusivamente, por falta de oportunidades de emprego.

Numa situação de desemprego e sem expectativas momentâneas de conseguir um trabalho, talvez seja melhor esperar uma situação mais favorável do mercado. Procurando administrar os recursos do FGTS em questões mais emergenciais.

Porém, caso a opção seja a via empreendedora, é importante separar o quanto vai precisar para abrir o negócio e o quanto vai precisar para a vida pessoal.

Confira algumas dicas e conhecimentos que são fundamentais, como:

  1. Elaborar um plano de negócios – O SEBRAE dá boas dicas e tem cursos grátis ensinando, confira esse vídeo.
  2. Ter afinidade com a área escolhida e experiência de trabalho.
  3. Analisar o mercado e tentar estabelecer um diferencial para seu negócio.
  4. Ter tempo para estar presente no negócio, ao invés de deixar nas mãos de um terceiro (principalmente enquanto a empresa amadurece).
  5. Não utilizar TODOS os recursos do FGTS, para abrir o negócio, pois poderá faltar para emergências da empresa.
  6. Não misturar questões da empresa com questões familiares.
  7. Estabelecer um salário (um valor de retirada) é fundamental.
  8. Ser paciente e persistente. São raros os negócios em que os resultados acontecem em curtíssimo prazo.
  9. Ter um plano alternativo, caso precise encerrar as atividades.

Para o economista e consultor de implantações Fabrício Fernandes, “não há problema em utilizar os recursos do FGTS em sua totalidade, desde que a pessoa tenha outras fontes de renda e possa se manter com segurança, enquanto o negócio se desenvolve ou até não venha a dar certo”, ressalta.

Empreender envolve riscos, mas são muitos os casos de sucesso que servem de exemplo.

Além disso, segundo o economista, abrir um negócio diante de uma oportunidade traz muito mais resultados, do que abrir por uma necessidade de dinheiro rápido.

Leia ainda:Sem consulta ao SPC/Serasa modalidade de empréstimo da Caixa oferece dinheiro na hora

 

Usar o FGTS ou uma linha de Microcrédito? Conheça opções

Dinheiro do FGTS; uma boa opção para quem pensa em abrir um negócio
Dinheiro do FGTS; uma boa opção para quem pensa em abrir um negócio

Uma vantagem em utilizar os recursos do FGTS é que se trata, portanto, de um capital barato.

Diferente de algumas opções que muitas pessoas se utilizam e que são extremamente caras, por conta dos juros altos, como o cheque especial ou o cartão de crédito.

Aliás, um recurso financeiro caro, como os citados acima, pode inviabilizar completamente o negócio.

Entretanto, existem opções interessantes e viáveis, como as linhas de Microcrédito, conheça algumas:

BNDES Microcrédito

  • Financia até 20 mil reais a microempreendedores formais e informais;
  • Taxa de juros máxima de 4% ao mês;
  • Não exige garantia real, apenas avalista.

Para saber mais, clique aqui.

Banco do Brasil – Microcrédito Produtivo Orientado

Tem duas linhas de financiamento para empreendedores informais, MEI e Microempresas:

Modalidade Individual

  • Financia de R$ 1.000 a R$ 5.000 (clientes do BB podem conseguir valores maiores);
  • Taxa de juros de 3,50% ao mês;
  • Exige garantia real ou de terceiros, mas que pode ser dispensada em alguns casos.

Grupo Solidário

  • Financia de R$ 600,00 a R$ 5.000 (clientes do BB podem conseguir valores maiores);
  • Taxa de juros de 2,95% ao mês;
  • Garantia: o grupo deverá apresentar de 3 a 7 empreendedores, os quais serão responsáveis pelo pagamento integral das parcelas.

Para saber mais, clique aqui.

A decisão, portanto, de usar os recursos do FGTS ou procurar uma linha de crédito mais acessível, vai depender de situações individuais de cada pessoa.

Entretanto, é fundamental que a decisão seja coerente e planejada.

Além disso, procurar o apoio de órgãos especializados em micro e pequenos negócios, como o Sebrae, é uma opção muito válida.

Leia ainda:Trabalhador pode ter empréstimo online de até R$ 50 mil pelo Whatsapp, entenda

Deixe seu comentário em: Saque do FGTS: boa opção para quem pensa em abrir um negócio

Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!