Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Minha Casa Minha Vida com conta de energia elétrica 70% mais barata; saiba mais


O Diário Prime News é um blog independente, que não tem vínculo ou associação com nenhum banco, instituição financeira ou órgãos de proteção ao crédito, tais como SPC, Serasa, Boa Vista etc. Em caso de dúvidas fineza fazer contato pelo e-mail [email protected]. Se preferir pode fazer uma pergunta à nossa redação clicando aqui!

Um projeto que amplia o uso de energia elétrica renovável, como a energia solar, no programa Minha Casa Minha Vida, é analisado pelo Senado Federal, nesta terça-feira, 09 de julho. O projeto busca tornar os imóveis mais eficientes, quanto ao uso de recursos naturais e, consequentemente, na conservação e uso racional de energia elétrica. Imóvel eficiente, menos conta para pagar? Veja.

Minha Casa Minha Vida sem conta de energia elétrica? Saiba mais.
Minha Casa Minha Vida sem conta de energia elétrica? Saiba mais

Conta de energia do Minha Casa Minha Vida pode ficar até 70% mais barata

As moradias do programa Minha Casa Minha Vida que contarem com a energia produzida por placas de energia solar fotovoltaica, podem ter uma redução de até 70% na conta de luz.

Essa redução no custo da energia é com base em um estudo realizado em parceria com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Furnas e a Federação de Indústrias de São Paulo (FIESP) .

Contudo, a ampliação do uso da energia solar, no programa Minha Casa Minha Vida, além da redução do custo de vida, também procura alcançar três objetivos:

  1. Gerar mais empregos na área ao redor do Brasil;
  2. Auxiliar o desenvolvimento da indústria de energia solar brasileira;
  3. E assim, prover habitação de qualidade para pessoas de baixa renda.

O dinheiro economizado pelas famílias, com o custo da energia, pode, portanto, ser direcionado para outras áreas, como lazer, saúde e educação.

O projeto, que também tem como objetivo economizar recursos naturais em imóveis usados pelo poder público, é um substitutivo do senador Eduardo Braga (MDB-AM) ao PLS 253/2016, de autoria do senador Telmário Mota (Pros-RR).

Além disso, o projeto recebeu emenda do ex-senador José Aníbal, para incluir o gás natural como fonte de energia limpa. Entretanto a emenda ainda será analisada.

Leia ainda:Seguro Itaú paga contas de quem ficar desempregado.

Entenda como funciona o Minha Casa Minha Vida da Caixa Econômica

O programa financia a compra de imóvel novo em área urbana ou ainda a construção e reforma de moradias em área urbana e rural e, também, tem a menor taxa de juros do mercado.

O programa de financiamento é dividido em 4 faixas.

As famílias com renda máxima de R$ 1.800 por mês, têm condições diferenciadas.

Faixa 1 – renda mensal bruta de até R$ 1.800

  • Financiamento em até 120 meses (10 anos)
  • Mensalidade fixada entre R$ 80,00 e R$ 270,00
  • Financiamento de até 90% do imóvel
  • Para ser aceito, entretanto, são realizados sorteios

Faixa 1,5 – renda mensal bruta de até R$ 2.600

  • Taxa de juros de 5% ao ano
  • Financiamento de até 360 meses (30 anos)
  • Subsídios de até R$ 47.500

Faixa 2 – renda mensal bruta de até R$ 4.000

  • Taxa de juros varia entre 5,5% e 7% ao ano
  • Financiamento de até 360 meses (30 anos)
  • Além disso, possui subsídio de até R$ 29.000

Faixa 3 – renda mensal bruta de até R$ 7.000

  • Taxa de juros de 8,16% ao ano
  • Financiamento de até 360 meses (30 anos)
  • Entretanto, não oferece subsídio

As faixas 1,5, 2 e 3 do Minha Casa Minha Vida ,entretanto, não participam dos sorteios.

Para mais informações clique aqui.

Leia ainda:Juros menores na Caixa: saiba mais sobre financiar e renegociar dívidas de imóveis com ou sem FGTS


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!