Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Trabalhador CLT pode ter mais dias para casamento, licença-paternidade e outros; confira


O Diário Prime News é um blog independente, que não tem vínculo ou associação com nenhum banco, instituição financeira ou órgãos de proteção ao crédito, tais como SPC, Serasa, Boa Vista etc. Em caso de dúvidas fineza fazer contato pelo e-mail [email protected]. Se preferir pode fazer uma pergunta à nossa redação clicando aqui!

Está em tramitação no Senado Federal o projeto de lei 240/2017, que visa alterar a CLT (Consolidações das Leis do Trabalho) e garantir mais dias de afastamento sem prejuízo da remuneração, para trabalhadores da iniciativa privada. O projeto é da senadora Rose de Freitas (PODE-ES). O objetivo é por igualdade com servidores públicos, pois alguns já usufruem desses direitos. Veja mais.

CLT: Trabalhador pode ter mais dias para licença paternidade, casamento e outros; confira
CLT: Trabalhador pode ter mais dias para licença paternidade, casamento e outros; confira

Alteração da CLT

A nova norma, então, caso aprovada, iria alterar o artigo 473 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Permitindo, portanto, um número maior de dias para ocasiões de afastamentos que os empregados de carteira assinada poderiam desfrutar; isso, claro, sem terem descontos no salário.

O relator do projeto de lei é o senador Paulo Paim (PT-RS).  E considerando a tramitação oficial no site do Senado Federal, observa-se a aprovação da maioria dos cidadãos.

Leia ainda:Prazo de saque do FGTS na Caixa pode diminuir para aquisição de imóvel

Dessa maneira, quase 90% das pessoas que opinaram sobre esta matéria, apoiam a iniciativa de mudança dos limites de tempo, para o afastamento remunerado.

Trâmite atual do projeto e a motivação para alterar CLT

O último status de situação do projeto de lei, dá conta de que estava pronto para a pauta na Comissão de Assuntos Sociais.

No que tange à motivação informada para a sua propositura, a justificativa seria oferecer o mesmo tratamento dado aos servidores públicos, para os demais trabalhadores do regime CLT.

A igualdade seria um direito fundamental do cidadão brasileiro, consagrado na Constituição Federal.

Leia ainda:Entenda os tipos de aposentadoria nas regras atuais do INSS

Ademais o tempo disponibilizado para afastamento hoje na CLT, não atenderia às reais necessidades dos empregados.

Tanto seria assim que, para as mesmas hipóteses de afastamento com remuneração garantida para servidores civis e militares, o tempo chega a ser o triplo do oferecido aos celetistas (com CLT) nas mesmas situações.

Quadro de alteração proposta pelo projeto de lei: casamento, licença-paternidade entre outros

MUDANÇAS A SEREM INTRODUZIDAS PELO PLS 240/2017 NA CLT 
Motivo do afastamento Como é hoje Como ficaria
Falecimento de cônjuge, companheiro, filhos ou avós 2 dias 5 dias
Falecimento de irmão ou enteado 2 dias 3 dias
Falecimento de genro ou nora Não previsto 3 dias
Casamento 3 dias 5 dias
Licença-paternidade 5 dias 20 dias
Doação de sangue 1 dia por ano 1 dia a cada 6 meses
Acompanhar consultas e exames da esposa ou companheira grávida 2 dias No mínimo, 1 dia por mês, a partir do 3º mês de gravidez
Acompanhar consulta de filho 1 dia por ano, até o filho completar 6 anos 2 dias por ano, até o filho completar 16 anos

Empresas já praticariam limites diferentes

A justificativa do projeto de lei também dá conta de que a alteração na CLT viria até mesmo, para regulamentar o que na prática já é uma concessão realizada por várias empresas.

Portanto, esses empregadores, já estariam sendo sensíveis à necessidade do maior tempo para que os empregados pudessem se retirar por alguns dias das atividades. Isso sem preocupações com a perda da remuneração.

Crítica ao Projeto de lei que visa alterar a CLT

A despeito da iniciativa parecer algo positivo ao trabalhador em um primeiro momento, alguns setores se preocupam em abrir mais dias não trabalhados.

Tal concessão poderia afetar o desempenho das empresas. Especialmente, considerando as reais dificuldades pelas quais passa a economia do país.

Leia ainda:SPC/Serasa: dívida prescrita após 5 anos pode atrapalhar em concurso? Entenda

Dessa forma com tantos desempregados e endividados, talvez a proposta não esteja vindo em boa hora.

Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!