Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Empréstimo do Mercado Livre: vendas podem ser impulsionadas com o Mercado Crédito; saiba detalhes


O Diário Prime News é um blog independente, que não tem vínculo ou associação com nenhum banco, instituição financeira ou órgãos de proteção ao crédito, tais como SPC, Serasa, Boa Vista etc. Em caso de dúvidas fineza fazer contato pelo e-mail [email protected]. Se preferir pode fazer uma pergunta à nossa redação clicando aqui!

Empréstimo facilitado e direcionado para quem trabalha com o Mercado Livre. Um dos principais marketplaces do Brasil, o Mercado Livre, que tem mais de 154 milhões de usuários cadastrados, desde o ano passado está com uma opção interessante: o Mercado Crédito, uma linha de empréstimo com ótimas condições para seus usuários.

Empréstimo do Mercado Livre ajuda a impulsionar as vendas; conheça o Mercado Crédito
Empréstimo do Mercado Livre ajuda a impulsionar as vendas; conheça o Mercado Crédito

Como funciona o empréstimo do Mercado Crédito?

O empréstimo ofertado pelo Mercado Crédito é através da plataforma financeira Mercado Pago.

Oferece financiamento a lojistas que vendem no marketplace e que, por sua vez, apresentam bom desempenho nas vendas.

O empréstimo se adapta às possibilidades financeiras de cada lojista.

Além disso, sua taxa de juros é menor do que a média de mercado.

Antes de ser testado no Brasil, o Mercado Crédito foi implementado com sucesso na Argentina e no México, em 2016.

A empresa busca, com essa linha de financiamento, incentivar o empreendedorismo e auxiliar financeiramente o desenvolvimento dos lojistas.

Em resumo, a ideia é facilitar o acesso de parceiros do Mercado Livre a financiamentos.

Quais as condições ofertadas?

O serviço vale para pessoas físicas e micro, pequenas e médias empresas.

O valor dos empréstimos vai de R$ 1.000 a R$ 350 mil reais e a média é de R$ 40 mil.

Com relação aos juros, a taxa é de 3,5% ao mês e o índice de inadimplência é de cerca de 2%.

As parcelas, que podem chegar a 12 vezes, são debitadas automaticamente do dinheiro disponível na conta do lojista, que é avisado disso via e-mail.

Caso não haja saldo suficiente, o desconto será feito à medida que houver dinheiro disponível até a quitação total do valor.

O processo de tomada de empréstimo

A contratação do serviço é bem simples e 100% online.

As propostas são feitas diretamente na plataforma, dentro da seção “Empréstimo”. O usuário é alertado da oferta por meio de uma notificação.

A partir daí, o vendedor escolhe quanto quer tomar emprestado e definirá o prazo para pagamento.

A análise de risco é definida por uma ferramenta de gestão da plataforma, que combina mais de 400 variáveis. Ou seja, a empresa empresta um valor que efetivamente condiz com sua capacidade financeira.

Assim que o lojista aceita o financiamento, o valor é depositado no mesmo instante na conta dele no Mercado Pago, contudo, se a escolha for receber a quantia numa outra conta ,o dinheiro leva um dia útil para ser creditado.

Leia ainda:Seguro Itaú paga contas de quem ficar desempregado; saiba detalhes

A modalidade de empréstimo está sendo bem avaliada

A receptividade do Mercado Crédito tem sido alta. Mais de 20 mil vendedores brasileiros já receberam financiamentos, e 7 a cada 10 pessoas pedem um novo empréstimo após quitar o anterior.

Dessa forma, por conta desse sucesso e já pensando em uma expansão, a companhia pretende, nos próximos meses, conceder crédito também aos compradores do marketplace.

Quais são os requisitos para conseguir o empréstimo?

Para receber a proposta de financiamento, o lojista obrigatoriamente deve vender no Mercado Livre e cumprir os seguintes requisitos nos últimos três meses:

  • Vender mais de R$ 100 por mês. O fluxo de caixa da empresa é o que serve de garantia de pagamento. Por isso, é preciso manter essa movimentação constante;
  • Ter reputação verde, que é a certificação máxima da plataforma. Para obtê-la, alguns dos fatores, certamente, considerados são: manter um bom volume de vendas, ter um índice de reclamações inferior a 5% do total de pedidos e ser pontual na entrega das mercadorias;
  • Manter um bom histórico de crédito. Isso comprova, portanto, que o lojista cumpre com compromissos e é confiável.

Onde se deve aplicar o dinheiro?

Cada lojista pode, contudo, usar o crédito da maneira que preferir, aplicando no que considera mais importante à empresa.

Exemplos de investimentos:

  • Pagar fornecedores e negociar melhores condições de compras;
  • Ampliar o estoque das mercadorias;
  • Comprar novos equipamentos;
  • Investir em marketing;
  • Melhorar o fluxo de caixa.

Assim, como com qualquer outro tipo de crédito, o dinheiro deve ser utilizado com inteligência e aplicado no que realmente é importante, de acordo com a estratégia da empresa.

Portanto, avalie quais são suas reais necessidades e o que deve ser feito para otimizar as vendas.

Leia ainda:FGTS: vale realmente a pena optar pelo saque-aniversário? Entenda


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!