Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Usuário do WhatsApp terá uma moeda para usar dentro do aplicativo, entenda


Não perca nenhum conteúdo de nosso Blog. Clique no botão abaixo e fique atualizado!

O Diário Prime News é um blog independente, que não tem vínculo ou associação com nenhum banco, instituição financeira ou órgãos de proteção ao crédito, tais como SPC, Serasa, Boa Vista etc. Em caso de dúvidas fineza fazer contato pelo e-mail [email protected]. Se preferir pode fazer uma pergunta à nossa redação clicando aqui!

O WhatsApp está se preparando para lançar sua própria criptomoeda, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2019. A informação foi divulgada pelo jornal New York Times. E ainda de acordo com o jornal, a ideia do projeto é criar uma moeda que usuários do aplicativo de mensagens possam enviar instantaneamente para seus contatos.

O usuário do WhatsApp vai ter uma moeda para usar dentro do aplicativo, confira- Fonte: reprodução

Portanto, o usuário do aplicativo poderá usar a moeda para enviar dinheiro para seus contatos do WhatsApp, em qualquer parte do mundo. E também para realizar pagamentos dentro do aplicativo.

Tudo isso com um diferencial extraordinário em relação a outras criptomoedas. É que o alcance do mensageiro já começa com uma grande base de usuários para ser impactada.

WhatsApp reúne mais de 50 engenheiros para o projeto

Para tirar o projeto do papel o Facebook (detentor do WhatsApp) reuniu mais de 50 engenheiros. O trabalho é comandado por David Marcus, ex-presidente do PayPal, que assumiu a liderança dos projetos de blockchain dentro do Facebook.

Dessa maneira, o Facebook já estaria, inclusive, em conversas com casas de câmbio especializadas em criptomoedas. Isso para tratar de meios para garantir estabilidade da nova moeda.

Portanto, o  objetivo do Facebook é evitar que sua criptomoeda registre variações tão grandes quanto as do Bitcoin, por exemplo.

A companhia espera que ela seja mais estável  para evitar a especulação. Deverá fazer, então, com que seu valor seja atrelado ao de moedas convencionais, como o dólar e o euro.

A ideia do Facebook não é efetivamente criar uma moeda disruptiva como o bitcoin. Mas apenas usar os mecanismos de tecnologia, para garantir mais segurança nas transações.

Assim, eles informaram que a moeda deve ser baseada em valores de outras, como o dólar e euro, para ajudar a manter a estabilidade.

Links que vão interessar também:

Telegram e Signal também querem criar suas criptmoedas

A empresa de Mark Zuckerberg não é a única que pretende oferecer uma moeda própria. Os serviços de mensagens Telegram e Signal também têm planos nesse sentido. E, nos dois casos, as criptomoedas deverão ser parecidas com as alternativas mais famosas.

O Telegram, com 300 milhões de usuários e principal concorrente do Whatsapp, já levantou US$ 2 bilhões no ano passado para a criação do Gram, a sua própria criptomoeda.

A empresa promete lançamento para este ano. A empresa enviou, em janeiro, uma carta a investidores para informar que 90% dos componentes centrais de sua rede foram estabelecidos.

O Signal, por sua vez, arrecadou um valor bem menor para a chamada Mobilecoin. Depois de levantar US$ 30 milhões em 2018, a companhia tenta arrecadar mais US$ 30 milhões.


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!