Top Stores

- Publicidade -

Cão Rastreador Brasileiro e animais capazes de farejar COVID 19

Os cães da raça apresentam porte forte, são alegres, inteligentes e sua capacidade de caça é acima da média

Top Stories Sonhar com gato: saiba o real significado de sonhar com o felino

Hoje (07/07) aqui no Diário Prime vamos falar um pouco sobre a raça Cão Rastreador Brasileiro, desenvolvida no Brasil e com muita personalidade. Ademais, conheça também outros caninos capazes de farejar o coronavírus. Nesse sentido, estudos afirmam que  labradores treinados em laboratórios são capazes de detectar o vírus com precisão e baixo custo.

Cão Rastreador Brasileiro: conheça mais sobre a raça e suas aptidões
Cão Rastreador Brasileiro: conheça mais sobre a raça e suas aptidões – Imagem: CANVA

Cão Rastreador Brasileiro

A história do Cão Rastreador Brasileiro teve início na década de 50, quando Oswaldo Aranha Filho teve a ideia de criar uma raça de cães farejadores. Sobretudo, que os cães pudessem caçar, mas que não deixasse de ser amáveis na convivência.

Dessa forma, ele reuniu  características que achava serem importante e iniciou os trabalhos cruzando raças especializadas em caça.

Dentre elas, o Foxhound Americano, Pequeno azul da Gasconha e Coonhound preto e castanho.

Reconhecimento da raça farejadora no Brasil

Em 1967 a raça do Cão Rastreador Brasileiro foi reconhecida pela Federação Cinológica Internacional  (FCI) e com isso se tornou a primeira raça oficial de cães farejadores.

No entanto, em 1973 cão rastreador brasileiro foi considerado extinto e restaram apenas poucos exemplares.

Contudo, alguns animais tinham sido doados nos anos em que estavam sendo desenvolvidos, com isso conseguiu sobreviver, porém sem o reconhecimento da FCI.

Resgate da raça

Os cães da raça apresentam porte forte, são alegres, inteligentes e sua capacidade de caça é acima da média. O cão Rastreador Brasileiro possui uma personalidade leal dócil.

Além disso, este cãozinho é muito esperto e brincalhão. Embora seja reservado com estranhos, não são agressivos. Porém, eles não se dão bem com animais de pequenos porte, como gatos e roedores.

Dessa forma, algumas pessoas lutam para continuar a raça e ter novamente seu reconhecimento, como é o caso do Grupo de Apoio ao Resgate do Rastreador Brasileiro – GARRB.

Cães rastreadores e o novo coronavírus

Durante a pandemia, estudiosos vêm treinando animais com habilidades de farejar para reconhecer o vírus em locais públicos e evitar a propagação da doença. Uma das raças com habilidades de memória olfativa são os labradores.

É o caso de Roxie, uma labradora amarela e temperamental, que adora brincar antes de começar o experimento.

Nesse sentido, a habilidade de rastrear e farejar dos cães ainda hoje é muito útil. Um exemplo disso está sendo demonstrado por um grupo de pesquisadores americanos e outros mundo afora.

 

Cães farejadores
Cães sendo treinados Na Universidade da Pensilvânia, nos EUA – Imagem: Divulgação National Geographic

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na Universidade da Pensilvânia, nos EUA, por exemplo, alguns cães estão aprendendo a farejar o novo coronavírus. Isso porque certas raças desenvolveram a capacidade de sentir o cheiro de certas doenças que afetam os seres humanos.

É o que confirma a Dra Amritha Mallikarjun sobre os caninos –  “Há muito espaço na cavidade nasal para o ar circular, tocar as superfícies e ser identificado”, consequentemente eles conseguem sentir o cheiro por mais tempo que os humanos.

cães farejadores
Aliás, Soile Turunem,  relata que treinar os cachorros é fácil, rápido e barato | Canva Pró
Finlândia usa cães nos aeroportos

O responsável pelo programa na Finlândia, Soile Turunem,  relata que treinar os cachorros é uma tarefa rápida e sem altos custos.

Segundo ele,  “um cão é capaz de detectar a presença do coronavírus dentro de 10 segundos. E além disso, o processo leva menos de um minuto para ser concluído”, pois, os cães conseguem rastrear o vírus por meio do suor deixado pelas pessoas nas roupas.

Em outras palavras, localizar o vírus em pessoas que estejam em locais públicos é uma grande conquista.

Concluindo, seja nos aeroportos ou antes de eventos diminui o risco de contaminação. E com isso, percebe-se a grande contribuição que os animais farejadores oferecem à sociedade.

Ademais, veja também: Veterinária Orienta Banho Em Pets Nos Dias Frios; Aprenda Tudo Aqui

Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News.
Comentários
Loading...