Top Stores

- Publicidade -

Pix cobra taxa por transferência? Entenda

Entenda melhor como funciona a cobrança de taxa do Pix em transferências

O Pix cobra taxa por transferência? Sim e não. Sim para contas de pessoas jurídicas e não para pessoas físicas. Para entender melhor como funciona todos esses detalhes, confira essa matéria de hoje, 20 de julho, aqui no blog Finanças, do site Diário Prime. Você vai descobrir informações importantes sobre o tema.

blank
Conheça mais sobre as taxas do Pix, além de suas vantagens ou desvantagens. Fonte: Getty Images.

Logo depois, leia: Vivo Money: conheça o empréstimo pessoal de até R$ 30 mil

Quando o Pix chegou, como novidade do Banco Central para todos os brasileiros que aceitassem fazer, essa era a maior novidade: taxa zero ou muito baixa para transações bancárias simples.

Como funciona a cobrança de taxa do Pix

Segundo o site VC S/A, da editora Abril, de todas as transações feitas durante o mês de maio de 2021, 75% delas foram feitas por pessoas físicas, ou seja, por pessoas comuns que têm um CPF.

O restante dos dados se refere a 25% de pessoas pagando empresas, empresas pagando pessoas ou transações entre empresas. Em meio a tantas idas e vindas de dinheiro, alguma dessas transições de contas pode ser taxada, mesmo sendo Pix.

Qual o valor das taxas e quais as vantagens?

O Pix fazer cobrança por transferência não é errado. Muitos bancos mantiveram a isenção para pessoas físicas, no entanto, quem tem empresa paga uma porcentagem do que recebe ou manda.

A vantagem, por sua vez, é a instantaneidade, ou seja, o dinheiro cai na conta na mesma hora em que for enviado.

Para empresas, sejam pequenas ou grandes, essa é sim uma vantagem. Especialmente ao se comparar com compras no cartão, por exemplo. No modo tradicional a cobrança é de até 5% do valor recebido; já com o Pix (maquininhas de cartão já emitem código de pagamento nesse sistema), a taxa não ultrapassa 1,89%.

Pix cobra taxa
Saiba mais sobre como funciona a taxação do Pix. Fonte: Getty Images.

Veja as taxas cobradas pelos bancos tradicionais

  • Banco do Brasil – 0,99% do valor da transferência e/ou recebimento;
  • Bradesco – 1,4% sobre transferências e/ou recebimentos;
  • Caixa – não cobra nada;
  • Itaú – 1,45% de taxa para transferências e/ou recebimentos;
  • Santander – pelo menos 1% para transferências e as taxas de recebimento variam de acordo ao tipo: QR code estático ou dinâmico custa R$6,54, QR Code checkout 1,4% do valor e chave Pix mantem o 1%.

Todas as taxações por porcentagem têm limite mínimo e máximo de acordo o valor final.

Para saber melhor de cada variação é importante consultar o banco.

Bancos digitais e as taxas do Pix

Entre Nubank, Inter e C6 Bank, apenas o último tem taxação apenas no recebimento de Pix; mas isso é a partir da 101º transação.

Caso ainda não saiba muito sobre o Pix, veja o vídeo a baixo uma explicação completa sobre esse tema. Entenda, de maneira simples, alguns pormenores dessa novidade brasileira.

A seguir: Veja como usar o empréstimo do saque-aniversário FGTS para dinheiro extra em 2021!

Comentários
Loading...