Top Stores

Ludmilla vibra com a conquista de seu primeiro troféu “Raça Negra” e compartilha com os fãs

Primeira negra brasileira a ser coroada Miss Brasil recebe o troféu pela segunda vez

Top Stories Decoração afetiva, conheça os segredos e a maneira correta de utilizá-la

A cantora Ludmilla demonstra-se feliz e agradecida ao ser premiada com o seu primeiro troféu “Raça Negra”, que recebeu no último domingo, em noite de gala na Sala São Paulo.

Na segunda-feira (22) Ludmilla compartilhou o momento importante de sua carreira em suas redes sociais, em fotos sérias, vestida toda de preto, com o troféu nas mãos e também na limusine.

“Toda honra e glória seja dada a ti Senhor. Ontem ganhei meu primeiro troféu @trofeuracanegra. Um dia muito especial e marcante em minha vida”

A cantora diz que foi lindo dividir esse momento com todos os pretos deste Brasil: “Dedico esse prêmio a todos os meus fãs e equipe, obrigada por tudo”.

Leia também: Saudosas, Maiara e Maraisa emocionam fãs com vídeos inéditos em ensaio com Marilia Mendonça

Primeira negra brasileira a ser coroada Miss Brasil recebe o troféu pela segunda vez

A modelo, manequim, apresentadora e empresária Deise Nunes foi  a primeira negra brasileira a ser coroada Miss Brasil em 1986 e recebeu o troféu na primeira e nesta última edição do prêmio.

Também a cantora Preta Gil esteve presente no evento de gala, para receber o troféu “Raça Negra” pela segunda vez.

Com os apresentadores Glória Maria e Paulo Betti como mestres de cerimônia, o evento faz parte da Virada da Consciência que se iniciou na quinta-feira, organizada pelas duas instituições.

Você não pode deixar de ler: Atriz Nanda Costa estoura fofurômetro da web com seu filho Tiê usando coroa após sair do hospital

Promovida pela Universidade Zumbi dos Palmares e ONG Afrobras, a 19ª edição do evento ocorreu na Sala São Paulo, com o objetivo de premiar negros e não negros que integram a luta contra o racismo em favor da inclusão racial

Há quase duas décadas o troféu Raça Negra reconhece o trabalho de brasileiros brancos e negros a favor da inclusão racial. O troféu foi fundado depois que as comemorações dos 500 Anos do Brasil, no ano 2000, não incluíram nenhum negro.

Segundo a Presidente da UNE, Bruna Brelaz foi através da reserva de vagas que conseguiu acessar a universidade e transformar sua realidade: “Assim como eu, no último ciclo, muitos jovens negros puderam mudar suas histórias”.

A principal homenagem foi póstuma, dedicada ao coreógrafo Ismael Ivo, que morreu no fim de 2020, vítima da Covid-19. O prêmio foi recebido por sua irmã Vera Ivo.

Fique por aqui e leia ainda: Felipe Neto fala sobre envolvimento de crianças com músicas que remetem a bandidos

 

Rate this post

Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News.
Comentários
Loading...