- Publicidade -

Flávia Alessandra fala sobre violência doméstica que sofreu do marido em “Salve-se quem puder”

A atriz aconselhou as pessoas a ajudarem mulheres que sofrem de agressão

O “Altas Horas” deste sábado, 17, teve a participação ilustre de Flávia Alessandra que falou sobre o fim da novela “Salve-se quem puder”. Em um bate-papo descontraído com Serginho, a atriz contou como foi gravar as cenas de violência doméstica sofrida por sua personagem.

Flávia Alessandra iniciou o seu desabafo fazendo questão de registrar o seu apoio a todas as mulheres vítimas de agressão dentro de casa. A atriz enfatizou que falar sobre o tema é bastante importante nos dias de hoje, alegando que as vítimas não devem aceitar passar por essa situação.

“Minha personagem nos últimos capítulos passou por isso, e eu acho que é um tema que a gente tem sempre que trazer à tona: a violência contra a mulher. A gente não pode aceitar. Não existe justificativa nem desculpa.”

Flávia Alessandra ainda completou o assunto ressaltando que em briga de marido e mulher deve sim meter a colher. “A vítima é a mulher. Se você souber, denuncie! Vamos apoiar umas as outras. Vamos dar um basta. Em briga de marido e mulher a gente deve se meter, sim, para salvar a mulher”, completou.

A esposa de Otaviano Costa deu vida à personagem Helena que, durante a trama, sofria  agressão do marido. Por conta das cenas fortes, Flávia contou que chegava em casa triste ao saber que muitas mulheres passam o que ela viveu na novela.

“Depois das sequências finais que eu fiz de agr*ss*o, eu chegava em casa tão dilacerada. Deve ser devastador uma mulher passar por isso. Deve ser muito difícil ela conseguir, de fato, reagir. E nos tempos de pandemia, o que tem se visto é o aumento da agressão, porém não da solução, porque a mulher está sendo obrigada a estar coagida com seu agressor dentro do mesmo lugar.”

Por fim, Flávia Alessandra encerrou o seu relato aconselhando as pessoas a tentarem ajudar as mulheres que apanham do marido em casa. “Então, quando você tem a constatação de que aquilo está acontecendo, se meta sim. A gente não pode achar normal. Não existe justificativa para essa monstruosidade.”

Comentário da redatora

Apesar de ser um assunto delicado, Flávia Alessandra foi bastante necessário ao falar sobre algo que acontece todos os dias no Brasil. De alguma forma, seu relato pode ajudar vítimas de agressão a denunciarem seu agressor.

Comentários
Loading...