A place where you need to follow for what happening in world cup

Apesar de eliminação, Carille mostra bastante empolgação para o restante do ano

O Corinthians acabou eliminado na Copa do Brasil pelo Flamengo, nesta terça-feira, no Maracanã, ao perder o segundo jogo das oitavas de final por 1 a 0, mesmo placar do jogo de ida, na Arena Corinthians. A partida foi bastante interessante e os dois times tiveram boas oportunidades de vencer o confronto; o Timão chegou a chutar uma bola na trave com o volante Ralf.

Já no final da partida, Rodrigo Caio marcou o gol da vitória por 1 a 0 e classificou o Rubro-negro para a próxima fase da Copa do Brasil.

Coletiva de Carille

Na sua coletiva depois do jogo, Carille se mostrou satisfeito pela produção do seu time e garantiu que sai de cabeça erguida do Rio de Janeiro, apesar do revés. Segundo ele, qualquer um poderia ter saído vitorioso do Maraca por conta do tamanho dos clubes.

”São jogos grandes. Nos detalhes, muitas vezes, acaba acontecendo a passagem de um time. Infelizmente não foi o Corinthians. Um detalhe importante, o jogo de lá, o gol que tomamos do Arão, estávamos muito bem posicionados. Acontece, futebol, um cruzamento, volante entrando no meio da nossa linha e acertando a cabeçada. A gente sai de cabeça erguida, muito triste pelo resultado, mas sabendo que podemos crescer mais ainda”, disse o técnico, que não lamentou a falta de alguns jogadores importantes para essa partida, como Pedrinho e Mateus Vital, que estão defendendo a seleção olímpica.

”Eu tenho algumas coisas assim comigo, e eu trago isso. A gente não pode ficar vetando jogadores para Seleção. Quando convoca os melhores que o técnico acha, os clubes começam a barrar. Não acho certo. Essa situação do final do jogo eu treinei no domingo de manhã, para levar no final do jogo se a gente precisasse do gol e trabalhar a bola lá dentro. Mas não temos que lamentar. Eu sabia do meu grupo, sabia dos problemas, sabíamos que falta, mas não temos que lamentar, estava tudo dentro da programação”, falou Carille, que explicou a estratégia utilizada para tentar bater o rival.

”Eu procurei fazer um jogo igual, respeitando a qualidade do adversário, procurando se impor mesmo jogando com Júnior, Ralf e Sornoza por trás. Ainda me incomodou o erro de passes simples. Muitas vezes a gente colocou o companheiro de maneira apertada para receber a bola. Tudo aconteceu em cima do que a gente imaginava. Flamengo temos que ficar atentos com as infiltrações. A parte final do jogo foi tentar pressionar, fazer essa bola dentro da área para tentar fazer o gol”, relatou.

 

Comments
Loading...