O que fazer para não ter auxílio emergencial reprovado?

0
130
O que fazer para não ter auxílio emergencial reprovado?
O que fazer para não ter auxílio emergencial reprovado?

Cerca de 35 milhões de pessoas já deram entrada no cadastro para receber o auxílio emergencial, mas é preciso ficar atento, pois um preenchimento errado dos dados pode reprovar a solicitação do benefício.

Contudo, para ajudar, disponibilizamos um infográfico, gratuito, com todo o passo a passo para quem precisa se cadastrar e solicitar o auxílio emergencial.

Para isso, basta acessar nosso canal no Youtube, se inscrever no canal, e clicar em um link que disponível na descrição do vídeo para baixar o infográfico.

Nessa matéria, resumimos algumas das principais dúvidas das pessoas e respondemos os questionamentos, confira:

O que fazer para não ter auxílio emergencial reprovado?
O que fazer para não ter auxílio emergencial reprovado?

Cuidado ao preencher o cadastro para solicitar o auxílio emergencial!

É muito importante preencher corretamente o cadastro disponibilizado pelo site da caixa para obtenção do auxílio emergencial, caso contrário, não será possível fazer correções o benefício poderá ser reprovado.

Uma das etapas do processo de cadastramento é a conferência dos dados digitados.

Dessa forma, é muito importante conferir se está tudo correto, já que a Caixa informou que, uma vez finalizado o cadastro, seja por meio do aplicativo ou do site, os dados serão verificados e conferidos com as bases de dados administrativas.

Quem não está conseguindo realizar o cadastro, o que fazer?

Para quem está tendo dificuldade ou tem dúvidas quanto as informações solicitadas no cadastro, é possível ligar para o telefone 111, que a Caixa Econômica disponibilizou.

Mas, vale salientar, esse número de telefone é para ajudar as pessoas com suas dúvidas e não para realizar cadastramento.

Além disso, também será possível fazer o cadastramento através das casas lotéricas ou agências da Caixa Econômica, mas somente se não conseguir realizar através da internet ou até mesmo se não tiver como acessar o site o baixar o aplicativo.

Está desempregado e não sabe qual opção marcar no campo de “Qual a sua atividade profissional”?

Caso a pessoa desempregada já esteja inscrita no Cadastro Único (CadÚnico) ou no programa do Bolsa Família, a seleção para receber o auxílio emergencial será automática, desde que cumpra os requisitos exigidos pelo programa.

Para conferir quais são os requisitos, acesse nossa matéria: Renda de 1.200 e 600 reais para MEI, autônomos, diaristas, motoristas de aplicativo, pescadores; veja as novidades

Mas se não encontrar a atividade profissional no campo solicitado, basta marcar “Outros”.

Para quem não está no CadÚnico e tem dúvidas se pode receber o auxílio emergencial, a orientação da Caixa é para a pessoa fazer o cadastramento pelo site ou aplicativo.

O banco informa que os dados irão ser enviados para a Dataprev (empresa que é responsável pela gestão de dados) que analisará se a pessoa pode ou não receber o auxílio.

Está desempregado desde 2018 ou até mesmo não tem nenhuma renda, qual opção marcar?

No campo “Quanto você ganhava, em média, por mês?”, se a pessoa não tinha renda, mesmo antes da pandemia causada pelo coronavírus, deve selecionar a primeira faixa, de R$ 0 a 600.

No cadastro do auxílio emergencial, pede para informar a renda da família, como a pessoa deve fazer o cálculo?

A pessoa deverá informar quem são todas as pessoas que moram na mesma casa, com CPF, e informar qual a renda de cada uma delas.

Mas se você mora sozinho, por exemplo, basta informar que só existe uma pessoa na casa, você.

Mas para ter direito, a sua renda média não pode ser superior a R$ 522,50.

Já para uma família maior, a renda total não pode exceder os R$ 3.135,00, somando a renda de todos.

As informações de renda serão verificadas nas bases administrativas do governo federal.

Além disso, vale ressaltar que o pagamento do auxílio emergencial é limitado a duas pessoas em uma mesma família.

Se o CPF estiver irregular não será possível realizar o cadastramento do auxílio emergencial

A primeira coisa a fazer é consultar a situação do CPF no site da Receita Federal e verificar a situação do CPF.

Para fazer isso, basta clicar no link e informar o número do CPF e a data de nascimento.

Problemas possíveis que o CPF irregular pode apresentar:

  1. Pendente de regularização: o contribuinte deixou de entregar alguma Declaração do Imposto Renda da Pessoa Física dos últimos cinco anos.
  2. Suspensa: o cadastro do contribuinte está incorreto ou incompleto.
  3. Cancelada: o CPF foi cancelado por multiplicidade, em virtude de decisão administrativa ou judicial.
  4. Nula: foi constatada fraude na inscrição e o CPF foi anulado.

Caso o problema seja referente a alguma Declaração de Imposto de Renda (situação pendente de regularização), a Receita Federal informa que para resolver basta enviar a declaração do Imposto de Renda do ano que consta como ausente.

Nesse caso em questão, se for possível e acessível, consultar um profissional de contabilidade pode ajudar.

Mas se o problema do CPF for de estar “Suspenso”, o procedimento para regularizar é, em posse do título de eleitor, acessar o site e seguir os procedimentos informados.

Além disso, se o problema for referente a pendências junto a Justiça Eleitoral (problema comum para quem não votou e não justificou seu voto em várias eleições), de acordo com a Receita Federal o CPF foi regularizado automaticamente até o último dia 10 de abril.

Assim, quem não conseguiu realizar o cadastramento por esse problema, antes do dia 10 desse mês de abril poderá tentar novamente a partir de hoje, dia 11.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here