Jair Bolsonaro pretende evitar possível alta do combustível; entenda

0
159

04 de janeiro – O presidente Jair Bolsonaro vai discutir com sua equipe econômica e com o presidente da Petrobras a respeito do clima de tensão no oriente médio que pode impactar ainda mais o preço dos combustíveis.

O que ocorre é que na madrugada da última sexta-feira (03), os Estados Unidos realizaram um ataque em Bagdá, capital do Iraque, que matou o principal general do Irã.

Em função disso, há uma enorme preocupação sobre a suspensão internacional do abastecimento de petróleo e isso gera impacto nos preços dos combustíveis.

Leia ainda:Cenário de redução? As incertezas do Bolsa Família para 2020

Jair Bolsonaro pretende evitar possível alta do combustível
Jair Bolsonaro pretende evitar possível alta do combustível

Tensão no Oriente Médio já pressiona os preços do Petróleo e Bolsonaro fala de quebra do monopólio da Petrobras

De acordo com Jair Bolsonaro, a tensão no oriente médio vai impactar os preços aqui no Brasil, mas é preciso ver qual o limite aceitável, pois o preço do combustível já está alto e se subir mais complica, afirmou.

Bolsonaro não soube detalhar o que poderá ser feito para conter a alta dos preços dos combustíveis, já elevados no Brasil.

Contudo, voltou a reclamar do impacto dos impostos e dos valores do transporte. Disse apenas que para que isso seja alterado é preciso “quebrar o monopólio”.

O presidente ainda afirmou que não pode tabelar os preços dos combustíveis e que essa política no passado não deu certo.

O ataque deve aumentar ainda mais a tensão entre Teerã e Washington.

A ação teve impacto direto no preço do petróleo no exterior e deve pressionar o mercado brasileiro

“Se [o preço do petróleo continuar a subir] tem que tomar providência. A Petrobras está se recuperando do que ela sofreu nos últimos anos, em especial no governo do PT. Quase quebraram uma estatal. A primeira estatal petrolífera quebrada do mundo, pelo que eu tenho conhecimento do porte dela. Ela está se recuperando”, disse o Bolsonaro.

Apesar das declarações, segundo Bolsonaro, o direcionamento do governo é o de não interferir nos preços dos combustíveis.

Renúncia do ICMS pode ser uma alternativa contra o aumento dos preços

O presidente Jair Bolsonaro sugeriu como uma medida de combate a uma possível alta dos preços, que os governadores abram mão da receita gerada com a arrecadação do ICMS, sobre os combustíveis.

Assim, tal medida pode reduzir o impacto no preço final aos consumidores.

“A gente apela para governadores. Vamos supor que aumente 20% o preço do petróleo. Vai aumentar 20% o ICMS. Não dá para os governadores cederem um pouco nisso também? Porque todo mundo perde. Quando você mexe em combustíveis toda a nossa economia é afetada nesta questão”.

O presidente deu as declarações após visitar novamente a primeira-dama Michelle Bolsonaro no hospital que passou por cirurgias estéticas.

Leia ainda: Empréstimo: fintech possibilita ganhar dinheiro cadastrando empresas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here