SPC revela que quase metade dos brasileiros não são controlados

0
107
Pesquisa do SPC revela que quase metade dos brasileiros não sabem controlar suas finanças
Pesquisa do SPC revela que quase metade dos brasileiros não sabem controlar suas finanças

29 de janeiro – Quase metade dos brasileiros não conseguem ter controle sobre suas finanças, é o que indica o levantamento realizado por todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

De acordo com a pesquisa cerca de 48% dos consumidores não conseguem controlar seu orçamento.

Os motivos são variados, 25% dos entrevistados preferem não anotar seus gastos diários e afirmaram guardar na memória todas suas despesas, 20% não registram seus gastos e outros 2% preferem delegar essa função para terceiros.

Leia ainda: Novo prazo do FGTS: trabalhador só pode reclamar de dinheiro não depositado nos últimos 5 anos

Pesquisa do SPC revela que quase metade dos brasileiros não sabem controlar suas finanças
Pesquisa do SPC revela que quase metade dos brasileiros não sabem controlar suas finanças

52% dos entrevistados anotam suas despesas de forma errada, afirma o SPC

Um dado preocupante do levantamento realizado pelo SPC é que mesmo anotando os gastos, as pessoas fazem isso de maneira errada, pois tendem a não anotar diariamente tudo que consomem.

Além disso, em cada dez pessoas que adotam um método de controle como aplicativos ou cadernos de anotações financeiras, apenas 33% conseguem planejar os gastos mensais com antecedência.

Assim, registrando sua receita, gastos e expectativas para o mês seguinte.

Ademais, 39% dos consumidores preferem ir anotando os gastos pessoais conforme eles ocorrem e outros 27% só anotam os gastos após o final do mês.

Para os que não se importam com o controle mensal das finanças, a justificativa é que não ver necessidade de realizar essa tarefa, pois confiam organizar tudo na mente (20%).

No entanto, uma parcela de 16% reconhece que não organizam seus orçamentos por falta de disciplina e 16% alegam não ter um rendimento fixo.

Portanto, essas pessoas não conseguem estipular exatamente o quanto podem gastar ou não por mês.

Entretanto, segundo o economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, pensar nos gastos com antecedência ajuda o consumidor a não ser surpreendido pela falta de dinheiro até chegar ao final do mês.

“O consumidor que conhece sua relação de receitas e despesas está menos propenso a se endividar com empréstimos ou a recorrer ao limite do cheque especial para cobrir rombos no orçamento. Além disso, ele está mais preparado tanto para traçar planos de longo prazo, como para agir em uma situação de imprevisto, como um gasto inesperado de alto valor ou a perda do emprego”, afirma a economista.

Passos para quem deseja organizar a vida financeira e começar a investir o dinheiro

Para dar o primeiro passo é preciso atribuir um montante mensal de reserva equivalente a uns três meses de gastos que são indispensáveis como:

  • aluguel,
  • alimentação,
  • transporte etc.

Desta forma, se surgir algum imprevisto você não precisará recorrer a financiamentos e crédito bancário como o cheque especial que tem juros altos.

Porém, não deixe esse dinheiro parado em uma conta. Invista em algum produto financeiro de liquidez diária, que geralmente podem ser resgatados quando necessário.

Ou seja, invista suas finanças em títulos de renda fixa, como papéis do Tesouro Nacional que são vinculados à taxa de juros Selic.

Esse tipo de operação tem poucas variações, então, são mais seguros. Você pode utilizar esse mesmo recurso para juntar dinheiro para realizar algum sonho e cumprir metas.

Veja ainda: Huawei promete reembolso se aplicativos não funcionarem no smartphone

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here