Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Mais Lidas

Todo mundo comentando

Nome sujo: esta com o nome no SPC e Serasa? saiba como sair da dívida

Empresa é obrigada a parcelar dívida no cartão de crédito que foi parar no SPC e Serasa? Entenda

Não perca nenhum conteúdo de nosso Blog. Clique no botão abaixo e fique atualizado!

19 de novembro de 2019– Uma das causas mais comuns para a negativação do nome junto aos órgãos de proteção ao crédito como SPC e Serasa é a dívida assumida no cartão de crédito. Ao invés de ser usado como uma ferramenta para facilitar determinadas compras, os consumidores muitas vezes abusam desse recurso.

Dessa maneira a inadimplência surge e se mantém, pois os juros pelo atraso no pagamento são enormes e fazem o montante da dívida crescer. Tornando, portanto, praticamente impossível em boa parte das vezes, para o devedor, a quitação de todo o débito à vista. Dessa forma o parcelamento pode ser a única alternativa para quitação da dívida. Porém será que a empresa credora é obrigada a parcelar dívida do cartão de crédito que foi parar no SPC e Serasa? Confira.

Saiba mais:

Uma empresa credora é obrigada a parcelar uma dívida feita no cartão de crédito que foi parar no SPC e Serasa?

spc-serasa-parcelamento-dívida-cartão
Empresa é obrigada a parcelar dívida no cartão de crédito que foi parar no SPC e Serasa? Entenda
Respondendo de pronto à pergunta do título desta matéria, a empresa credora não tem a obrigação de parcelar a dívida do cartão de crédito que, por falta de pagamento, levou o devedor a ser negativado no SPC e Serasa, por exemplo.
Aliás, o valor informado nas faturas depois do vencimento, assim como os encargos, poderão ser cobrados a qualquer instante, no seu valor integral.

No entanto, vale a ressalva, que é bem comum às empresas, na prática, percebendo a dificuldade do devedor, encaminharem propostas de parcelamento.

Saiba mais:
Mas qualquer negociação do débito implicará em um novo acordo entre as partes. Ou seja: a dívida “anterior” é extinta e uma nova dívida é calculada, com novos elementos combinados com juros e multa. Incluindo a confissão do devedor de que se deve aquele novo valor.
Assim, caso o cliente e a empresa credora façam um acordo, e o cliente devedor por sua vez quebre esse trato, deixando de pagar a parcela devida, acabará perdendo as condições combinadas para pagamento em parcelas. E toda a dívida é considerada vencida novamente.

Existe uma exceção a esta regra?

De fato é bastante comum que, ao chegar a fatura, o consumidor não tenha as condições de pagar o valor total. Nesse caso, ele pode pagar o valor mínimo e, no mês seguinte, pagar a fatura do mês vigente, além, claro, do saldo restante da anterior.

No entanto, caso ele novamente não tenha condições de pagar o valor integral da fatura, não poderá pagar somente o mínimo de novo.

Assim sendo, de acordo com a resolução 4.655/18 do Conselho Monetário Nacional (CMN), a operadora de cartões é obrigada a apresentar uma opção de parcelamento em linhas de crédito com juros menores que o do cartão, para que ele quite o saldo total de fatura.

Em caso de parcelamento, como negociar a quitação?

Antes de mais nada, é essencial saber o valor da dívida. Pois, na verdade, além do montante principal, serão cobrados juros, multas e encargos.
Nesse caso, vale a pena entrar em contato com a operadora do cartão e saber o valor total e a discriminação do débito.
Logo depois, de posse dessa informação, é importante ajustar o orçamento para separar o dinheiro da futura parcela.
Ademais, em último caso, pedir um empréstimo no mercado pode ser uma opção. Isso porque os juros desse novo empréstimo podem ser menores e, nesse caso, a troca das dívidas pode ser vantajosa. É a chamada troca de uma dívida cara por uma mais barata.

Livrando-se das dívidas no cartão de crédito

Para livrar-se das dívidas no cartão de crédito que negativam o nome no SPC e Serasa, a melhor solução é sempre a prevenção.
Saiba mais:
Em outras palavras, isso significa mudar os hábitos financeiros, controlando os gastos e montando um fundo de emergência para imprevistos.

Importante lembrar que no pagamento da primeira parcela do acordo, já é dever do credor retirar o nome do devedor do cadastro de negativados no SPC e Serasa.

Ajude a fazer o Diário Prime News! Tem dúvidas, críticas ou sugestões de pauta? Fale conosco! Mande email para contato@dpnews.com.br  


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!