INSS: fila deve diminuir com contratação de militares reservistas e ex-servidores civis; entenda

0
298
INSS: fila deve diminuir com contratação de militares reservistas e ex-servidores civis; entenda
INSS: fila deve diminuir com contratação de militares reservistas e ex-servidores civis; entenda

02 de fevereiro – O Governo Federal anunciou há poucos dias que, a fim de diminuir a fila para o atendimento previdenciário, irá convocar militares reservistas e ex-servidores do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Segundo dados do órgão previdenciário hoje existem quase 2 milhões de pedidos parados, sendo que 1,3 milhões deles aguardam resposta há mais de 45 dias, prazo legal em que o INSS deve responder aos pedidos.

Entenda como serão feitas essas contratações e como isso impacta na fila de pedidos.

INSS: fila deve diminuir com contratação de militares reservistas e ex-servidores civis; entenda
INSS: fila deve diminuir com contratação de militares reservistas e ex-servidores civis; entenda

Veja também:

INSS exige prova de vida para manutenção de benefícios; veja como fazer

Convocação de militares reservistas e ex-servidores

Os pedidos que aguardam resposta perante o INSS são relacionados a diversos benefícios. Dentre eles a aposentadoria, salário-maternidade, auxílio doença e acidentário.

O Governo Federal espera que o reforço no número de atendentes dê conta do montante em espera com respostas até o fim do ano. Estima-se que serão convocadas 7.000 pessoas para compor uma força-tarefa, para colocar em dia os pedidos atrasados.

Quem fará parte da força-tarefa

Em um primeiro momento o anúncio governamental era exclusivo para contratações destinadas aos militares reservistas. Eles seriam convocados e pré-selecionados.

Na última terça-feira, entretanto, houve novo anúncio que informou a inclusão de ex-servidores do INSS para auxiliar nas demandas perante o órgão previdenciário.

Espera-se que em breve haja a publicação de uma Medida Provisória pela Presidência da República, a fim de esclarecer e pontuar os elementos importantes dessa novidade.

Quanto à remuneração dos convocados, ao que tudo indica será estabelecida uma gratificação. Esta, por sua vez, poderá corresponder a até 30% do valor atualmente recebido pelo cidadão, seja civil ou militar.

Ademais, à quantia paga também será estabelecido um teto que provavelmente gire em torno de dois mil reais, conforme informações do Secretário Especial de Previdência e Trabalho Rogério Marinho.

Confira ainda: INSS: Desempregados têm direito aos benefícios por até 3 anos; entenda como funciona

Atrasos na análise de pedidos de benefícios pelo INSS

O INSS recebe, em média, 1 milhão de solicitações de benefícios mensalmente. Isso é causado por diversos fatores como, por exemplo, o empréstimo de servidores do órgão para outros órgãos públicos.

Outro fator destacado por Marinho é o grande número de servidores do próprio INSS, que se aposentaram no último ano e que ainda não foram repostos por novas contratações.

Além disso é inegável que a grande demanda do instituto o sobrecarrega e leva aos atrasos.

A fim de permitir que as demandas em atraso sejam regularizadas o Governo Federal também colocará em prática outras duas medidas. Primeiramente limitará a cessão de funcionários do instituto previdenciário a outros órgãos.

Por outro lado, dará prioridade à realização das perícias de servidores do próprio órgão que hoje se encontram afastados e aguardando a análise do pedido de auxílio doença ou acidentário, benefícios previdenciários.

Continue lendo:

Valor do INSS descontado no salário do trabalhador em 2020 será maior; entenda

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here