Tire suas dúvidas: o número do PIS/Pasep muda ao trocar de emprego entre o serviço público e privado? Entenda

0
56
O número do PIS/Pasep muda ao trocar de emprego entre o serviço público e privado?
Tire suas dúvidas: o número do PIS/Pasep muda ao trocar de emprego entre o serviço público e privado? Entenda

Uma das dúvidas mais comuns entre os trabalhadores é se o número de inscrição no PIS/Pasep muda quando a pessoa troca de emprego, seja no setor privado ou mesmo entre o privado e o serviço público. O abono salarial do PIS/Pasep é pago anualmente aos trabalhadores. Entenda mais sobre o benefício e tire suas dúvidas.

O número do PIS/Pasep muda ao trocar de emprego entre o serviço público e privado?
O número do PIS/Pasep muda ao trocar de emprego entre o serviço público e privado?

O número do PIS/Pasep muda quando troco de empregos entre a iniciativa privada e o serviço público?

A resposta é não. Ao mudar de emprego, da iniciativa privada para o serviço público, por exemplo, o número de inscrição permanece o mesmo.

A única mudança é que a administração da conta individual migra da Caixa (responsável pelo PIS) para o Banco do Brasil (responsável pelo PASEP).

O mesmo acontece no caso contrário, na mudança do serviço público para o privado. O número de inscrição se mantém o mesmo, mas a conta passa do Banco do Brasil para a Caixa.

Contudo, é necessário informar ao empregador o número do PIS/Pasep para que ele não crie um novo registro em nome do trabalhador.

Veja ainda: PIS/Pasep: quais os documentos necessários para sacar o abono salarial? Confira

O que é o abono do PIS/Pasep?

O abono salarial é uma espécie de décimo quarto salário, que é pago ao trabalhador anualmente.

Equivale ao valor máximo de um salário mínimo e pode ser sacado conforme o calendário anual determina. Geralmente, varia conforme o mês de nascimento do trabalhador.

O Pasep é a sigla para Programa de Formação do Patrimônio do Servidor, também criado em 1970. Tem o mesmo objetivo do PIS: integrar o empregado e a empresa em que ele trabalha.

É o número de inscrição social que servidores públicos civis e militares possuem e que dá direito a benefícios como Seguro Desemprego, Abono Salarial, Fundo de Garantia etc.

O número do PIS pode ser encontrado na Carteira de Trabalho, no comprovante de inscrição ou no Cartão do Cidadão.

Quem tem direito a sacar o abono salarial do PIS/Pasep?

O trabalhador que recebeu, em média, até dois salários mínimos por mês e trabalhou de carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2018.

Além disso, é necessário que a pessoa esteja inscrita no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos.

Entretanto para verificar se pode fazer o saque, trabalhadores da iniciativa privada podem consultar o site da Caixa. Já para quem é funcionário público, a consulta é pelo site do Banco do Brasil.

Valor do abono salarial que o trabalhador pode receber

abono PIS/Pasep

Com base na tabela, portanto, o valor máximo pago é de até um salário mínimo e varia de acordo com o tempo que a pessoa esteve empregada.

Se ela trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou só um mês, por exemplo, ganha 1/12 do mínimo (o que significa R$ 84,00, arredondando).

Caso haja dúvidas, é possível fazer a consulta das seguintes maneiras:

PIS (trabalhador de empresa privada):

  • Pelo Aplicativo Caixa Trabalhador;
  • ou ainda, pelo site da caixa (www.caixa.gov.br/PIS), em seguida clique em “Consultar pagamento”.
  • Também é possível pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207

Pasep (servidor público):

Através dos telefones da central de atendimento do Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas) ou ainda pelo 0800 729 0001 (demais cidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos).

Confira o calendário de pagamentos do PIS/Pasep

PIS – Caixa Econômica Federal

Cronograma abono PIS
Cronograma abono PIS

Pasep – Banco do Brasil

Cronograma abono Pasep
Cronograma abono Pasep

O resgate do PIS/PASEP é um direito de todo trabalhador. Portanto, para receber esse abono, deve-se ficar muito atento aos prazos e ao calendário de pagamento do benefício pela Caixa Econômica Federal.

Contudo, caso o trabalhador não faça o saque do abono durante o período determinado, pode perder definitivamente o direito.

Assim, todo o valor que não é repassado aos cadastrados é destinado ao Fundo de Apoio ao Trabalhador (FAT).

Leia também: Abono PIS/Pasep: aprenda a investir e fazer o dinheiro render mais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here