FGTS: saiba qual o prazo para realizar o saque imediato e complementar

0
37
FGTS: saiba qual o prazo para realizar o saque imediato e complementar
FGTS: saiba qual o prazo para realizar o saque imediato e complementar

22 de janeiro – Os trabalhadores que desejam realizar o saque imediato do FGTS precisam ficar atentos ao calendário. Isso, porque o benefício não vai ficar disponível por muito mais tempo. De acordo com o cronograma divulgado pela Caixa Econômica, só será possível sacar o dinheiro até março deste ano.

Após o período de março, o valor voltará para as contas do fundo. Entenda abaixo.

FGTS: saiba qual o prazo para realizar o saque imediato e complementar
FGTS: saiba qual o prazo para realizar o saque imediato e complementar

Entenda como funciona o saque imediato das contas do FGTS

Para quem tem conta poupança na Caixa, os saques começaram no dia 13 de setembro; para quem não é cliente do banco, os saques começaram a partir de 18 de outubro. Será possível sacar até 31 de março de 2020.

É permitido sacar de todas as contas que o trabalhador tenha no FGTS, sejam elas ativas ou inativas.

As contas ativas dizem respeito ao emprego atual, ou seja, é a conta que está atualmente aberta pela empresa em que a pessoa esteja trabalhando.

Já as contas inativas são aquelas que foram abertas em empresas que a pessoa já tenha trabalhado anteriormente.

Veja ainda:

FGTS: dinheiro do fundo pode ajudar negativados

Limite do saque imediato pode chegar a R$ 998

Após mudanças na Medida Provisória 889/2019, que dispõe sobre as novas modalidades de saque do FGTS, o limite do saque imediato passou a ser de R$ 998,00 (valor do salário mínimo em 2019).

O aumento é quase o dobro do valor antes liberado – R$ 500,00. Um benefício extra para quem já estava disposto a realizar o saque.

Quem já sacou R$ 500 pode fazer o saque complementar de R$ 498,00

Contudo, a alteração na MP só vai beneficiar as pessoas que tinham saldo de até um salário mínimo no dia 24 de julho de 2019, dia em que a medida foi promulgada. Os demais estão limitados a R$ 500.

Caso os trabalhadores possuam duas contas ou mais, eles têm direito de retirar o dinheiro de cada uma delas, respeitando o limite do valor já citado acima.

Veja alguns exemplos:

  1. Se um trabalhador tinha R$ 998 depositado na conta do FGTS e sacou R$ 500, ele poderá agora sacar a diferença, ou seja, R$ 498,00;
  2. Em outra situação, se o trabalhador tivesse R$ 700 de saldo depositado no FGTS e tivesse sacado o limite permitido, antes da alteração na medida da provisória, que era de R$ 500, ele agora poderia sacar o restante, ou seja, R$ 200;
  3. Caso o trabalhador tenha mais de uma conta, poderá sacar o valor até completar os R$ 998,00 de cada uma delas.

Vale lembrar que o saque complementar dos R$ 498, assim como o dos R$ 500, só ficará disponível para saque até 31 de março de 2020.

O objetivo da mudança é reaquecer o consumo e a economia do Brasil. Dessa maneira, o governo estima que os saques devem injetar cerca de R$ 3 bilhões na economia do país. Enquanto os saques totais (para aqueles que retiraram até R$ 500) do FGTS resultarão em R$ 42 bilhões.

Leia também:

FGTS: aumento do salário mínimo impacta no saque aniversário e imediato? Entenda

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here