Como dar entrada no seguro desemprego na pandemia? Confira

0
35
Como dar entrada no seguro desemprego na pandemia? Confira
Como dar entrada no seguro desemprego na pandemia? Confira

01 de Maio –  Entenda como dar entrada no seguro desemprego na pandemia pela internet, assim como quais são as regras para recebimento do benefício pago em razão da perda de emprego, suspensão do contrato ou limitação salarial em razão da pandemia.

Como dar entrada no seguro desemprego na pandemia? Confira
Entenda como solicitar o seguro desemprego online

Leia também:

Como dar entrada no seguro desemprego na pandemia: Passo a passo

O Governo Federal disponibilizou o portal Emprega Brasil para a solicitação do seguro em razão da dispensa. Dessa forma, o pedido pode ser feito de forma remota, totalmente online.

Para ter acesso ao portal, é necessário que o cidadão realize um cadastro no qual deverá informar alguns dados. Dentre eles, por exemplo, está o nome completo do solicitante e o número do seu CPF, assim como a data e local e nascimento e o nome da mãe.

A seguir, para dar entrada no seguro desemprego durante a pandemia, também será necessária a realização de um registro de login e senha, que serão utilizados para permitir acessos futuros à página.

Assim, após a realização do cadastro, deve-se clicar na aba intitulada “Solicitar Seguro-Desemprego”.

Embora anteriormente apenas a parte inicial da solicitação pudesse ser feita pela internet, atualmente toda a tramitação do pedido se dá de forma online. Portanto, a apresentação de documentos também deve ser feita pelo portal.

Confira ainda:

Quais são as regras para o pagamento do seguro?

São diversas as regras que regem a solicitação de seguro.

A primeira requisição do seguro, por exemplo, exige que o trabalhador tenha ao menos 18 meses de trabalho registrado em carteira.

Desse total, ao menos 12 meses devem ter sido de prestação de serviços ao mesmo empregador. Na segunda solicitação, por outro lado, é necessário que tenha ocorrido ao menos 12 meses de prestação de serviços, dos quais 9 devem ter sido ao mesmo empregador.

Além disso, o cidadão não pode ser sócio de empresa ou, ainda, ser microempreendedor individual, ou seja, vinculado ao MEI. Também não pode ser beneficiário do INSS, com exceção do recebimento de prestação continuada.

Por fim, não só dar entrada no seguro desemprego na pandemia pode ser efetivada pela internet, assim como a movimentação dos valores recebidos também deve ser realizada remotamente.

Continue lendo:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here