Endividamento das famílias é o maior em 10 anos, aponta CNC

No endividamento das famílias, o cartão de crédito foi o principal responsável pelas dívidas

0
109
Endividamento das famílias
Endividamento das famílias é o maior em 10 anos, aponta CNC Foto - Pixabay

Endividamento das famílias – Uma pesquisa divulgada na quinta-feira, 3, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontou que o endividamento das famílias é o maior em 10 anos. Entre as principais dívidas está aquela que se faz com cartão de crédito (77,8%), carnês (17,3%) e o financiamento de veículos (10,6%).

De acordo com o levantamento o percentual de famílias com dívidas no país subiu para 67,5% em agosto – novo recorde histórico da série iniciada em janeiro de 2010, superando a máxima anterior registrada em julho (67,4%).

A pandemia pode ter colaborado para esse cenário, mas o endividamento das famílias já vem há alguns anos dando sinal de alerta no país.

Leia mais: Vai contratar um plano de saúde 2020? Cuidados são importantes

Pandemia colaborou para o endividamento das famílias

Endividamento das famílias
Endividamento das famílias é o maior em 10 anos, aponta CNC Foto – Pixabay

A pandemia teve um impacto decisivo na situação econômica geral, que obviamente foi transferida para o orçamento das famílias.

Diante da evidente queda da renda e a perda de postos de trabalho, grande parte das famílias acabou se endividando.

E a expectativa é de que exista uma parcela importante da população, hoje já bastante endividada, que não conseguirá se recuperar a curto prazo.

Por isso, conforme especialistas, o correto é tentar organizar o orçamento ao máximo, pagando as dívidas e a partir disso criar o hábito de poupar.

Preparamos algumas dicas que podem ajudar a superar o endividamento das famílias. Confira.

Dicas para organizar o orçamento financeiro

Prepare seu orçamento de crise

Um bom planejamento financeiro é fundamental em tempos de crise. Não dá para controlar o que não se sabe, portanto, a primeira recomendação é preparar seu orçamento de crise familiar.

Esse orçamento deve ser uma ferramenta de trabalho, que se possa preparar facilmente, a partir das receitas e despesas mensais, para prever e planejar suas finanças pessoais.

Observe atentamente suas dívidas

Contrair dívidas acarreta obrigações, e não cumpri-las pode criar uma verdadeira dor de cabeça no futuro. Imprevistos podem ocorrer, como o que aconteceu com a chegada da crise do coronavírus.

Dessa forma é fundamental não contrair muitas dívidas simultaneamente. Tanto quanto possível, o melhor é agir de forma pontual, comprando aos poucos os objetos e serviços do interesse. Mantendo folga orçamentária.

Gaste menos do que você ganha

Independentemente do nível de renda, é imprescindível criar o hábito de poupar. Alguns especialistas sempre recomendam gastar menos do que se ganha.  Economizar não é só guardar dinheiro, mas também saber como gastá-lo.

É muito importante que a família adquira o hábito de poupar, para, principalmente fazer frente a alguma situação inesperada.

Pois, podem haver situações nas quais, não havendo reserva de emergência, seja-se obrigado a recorrer a empréstimos. E o crédito no país, na grande maioria das vezes é muito caro.

Leia ainda: Lançamento da cédula de 200 reais: nota entra em circulação hoje (02)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here