Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Parcela máxima do seguro-desemprego aumentou; saiba detalhes


Não perca nenhum conteúdo de nosso Blog. Clique no botão abaixo e fique atualizado!

17 de janeiro – O valor máximo das parcelas do seguro-desemprego aumentou para R$ 1.813,03. A quantia do benefício máximo aumentou cerca de R$ 77,74 em comparação com o que era pago anteriormente, no valor de R$ 1.735,29. Essa quantidade máxima do seguro-desemprego será concedida a trabalhadores com remuneração acima de R$ 2.666,29.

Leia ainda:

Quem recebe seguro-desemprego tem direito a quais outros benefícios sociais?

As alterações nos valores do seguro-desemprego

seguro-desemprego-valor-parcela

Leia ainda:

A tabela do seguro desemprego e as dicas para não perder o direito.

Os valores do seguro-desemprego são válidos para os benefícios que ainda serão solicitados e também para aqueles que já foram liberados. Em outras palavras, para aqueles que já estão recebendo o benefício, as parcelas que faltam e foram emitidas após o reajuste em vigor serão corrigidas com o novo valor.

É válido lembrar ainda que o valor recebido pelo trabalhador demitido sem justa causa dependerá da média salarial dos três últimos meses anteriores à demissão. Todavia, o valor da parcela não pode ser menos do que um salário mínimo (R$ 1.039,00).

Os novos valores estão valendo desde que houve a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Aliás, esse índice ficou na casa dos 4,48% na semana passada.

Quem possui direito e como funciona o seguro-desemprego?

Pode receber o benefício o trabalhador que atuava em regime CLT e foi mandado embora sem justa causa.

Ele receberá entre 3 e 5 parcelas, dependendo do tempo que trabalhou registrado. Ou seja, quem trabalhou pelo menos 6 meses na empresa terá direito a 3 parcelas do benefício; quem trabalhou pelo menos 12 meses tem direito a 4 parcelas e, por fim, quem trabalhou 24 meses tem direito a 5 parcelas.

Para pedir o seguro-desemprego pela 1ª vez, o trabalhador necessita ter ficado empregado por no mínimo 12 meses com carteira assinada em regime CLT.

Para pedir pela 2ª vez, necessita ter trabalhado por 9 meses. Da 3ª em diante, no mínimo 6 meses de trabalho.

O desconto do INSS sobre o benefício

Desde novembro de 2019 o governo de Jair Bolsonaro anunciou que será descontado 7,5% de INSS em cima do seguro-desemprego. Além disso, o período de recebimento do benefício contará para a aposentadoria.

Veja ainda:

Seguro-desemprego: as diferentes formas que o trabalhador possui para sacar o benefício; confira.

O desconto dessa contribuição começará a acontecer a partir de março de 2020, de acordo com a medida provisória que fala a respeito do assunto. No entanto, ela ainda precisa receber aprovação final.

Ajude a fazer o Diário Prime News! Tem dúvidas, críticas ou sugestões de pauta? Fale conosco! Mande email para contato@dpnews.com.br  


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!