Mais Lidas

Todo mundo comentando

Eduardo Bolsonaro defende Ministro da Educação, Abraham Weintraub e suas medidas nas redes sociais

Não perca nenhum conteúdo de nosso Blog. Clique no botão abaixo e fique atualizado!

Eduardo Bolsonaro, hoje, 11, utilizou as redes sociais para defender o ministro da educação e sua gestão no ministério. Por meio de uma série de posts no Twitter, Eduardo Bolsonaro afirmou que não há nenhum tipo de desentendimento entre ele e o atual ministro, ou ainda, entre o ministro e o presidente Jair Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro postou nas redes para dizer que qualquer informação a respeito de possíveis desentendimentos entre ele e o ministro seriam falsas e, provenientes de um jornalista “delirante” que estivesse sob efeito de alucinógenos.

Leia também: Ministro da Educação Abraham Weintraub recebe apoio de seus eleitores após forte discussão com deputado Marcelo Freixo em Comissão De Educação.

Fonte: redes sociais de Eduardo Bolsonaro/ Foto: Eduardo Bolsonaro acusa o jornal Estadão de divulgar mentiras sobre o governo.

Eduardo utilizou ainda, as suas redes para listar uma série de resultados positivos que seriam fruto do trabalho do ministro, na gestão da pasta. Dentre as medidas, Eduardo citou a criação de escolas cívico-militares e o fato de o ministro ser contra a “ideologia de gênero” que segundo Eduardo, estava tomando conta do ensino público no país.

1 ano e além de sem escândalos de corrupção já temos na economia: -Ref Prev aprovada -MP liberdade econômica -Menos 23.000 cargos/FG -Maior plano de privatizações e concessões do planeta (PPI) -Ref Trib em discussão -Acordos Mercosul-UE/EFTA -Sem toma-lá-dá-cá com ministérios Etc

De acordo com Eduardo Bolsonaro, essa seria mais uma invenção da imprensa para tentar macular a imagem do governo, já que não pode noticiar sobre esquemas de corrupção ligados ao governo e ao presidente e, que a imprensa já teria utilizado da mesma “tática”, outras vezes, com outros ministros, para desestabilizar o governo.

Leia também: Marco Feliciano ameaça Jornalista Fabio Pannunzio e dá prazo para retratação

Como surgiram os boatos

A suposição teve início após uma publicação do Estadão que revelava uma crise no MEC e insegurança no Ministério da Educação com a presença de Weintraub como ministro, porém, em razão da afinidade ideológica com o presente Jair Bolsonaro, ele teria mais chances de ficar; mas, que o próprio Eduardo Bolsonaro estaria pedindo nomes entre os congressistas, para fazer a substituição.  

Outros editoriais publicaram também, que na volta do seu período de férias, Abraham Weintraub não assumiria a pasta novamente, dando a vez para outro nomeado. Eduardo reiterou sua postura totalmente favorável ao ministro e, em nenhum momento teria feito a busca por nomes para substituir o atual ministro.

Você pode gostar: Presidente Bolsonaro é elogiado nas redes sociais no caso do avião chileno


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!