/Pegando Fogo

O mercado BTC está menos concorrido. Depois do Facebook, outra grande empresa do ramo de tecnologia havia se manifestado sobre o interesse de atuar no mercado BTC. Assim muitos entusiastas ficaram animados com a notícia e a possibilidade de ter duas grandes empresas com suas moedas virtuais. Mas, no entanto, o CEO da Apple, Tim Cook, declarou que não tem nenhum interesse nas criptomoedas.

“O Controle do dinheiro pertence ao governo”, disse ele.

Mercado BTC: Apple Recua sobre a ideia da criação de Criptomoeda - Dinheiro Digital
Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Mercado BTC: Apple Recua sobre a ideia da criação de Criptomoeda

CEO da Apple diz não ter interesse no mercado de Criptomoedas


mercado btc
(Imagem: Pixabay)

Apple fora do mercado BTC

Segundo o CEO da Apple, Tim Cook, o dinheiro é a defesa de um país e como tal deve está debaixo da autoridade do governo. Assim o Cook justifica a sua não adesão ao mercado BTC.

“Eu realmente acho que uma moeda deveria ficar nas mãos dos países, eu não me sinto confortável com a ideia de um grupo privado configurar uma moeda concorrente. Uma empresa privada não deveria tentar aumentar seu poder desta maneira”

Completando a sua negação ao mercado BTC dizendo:

- Advertisement -

“Está no coração da missão deles. Elegemos nossos representantes para assumir responsabilidades do governo. As empresas não são eleitas, não precisam fazer isso ”.

O que gerou o mal-entendido?

Depois da Apple anunciar o lançamento da sua criptomoeda, analistas e entusiastas começaram a especular outras empresas que também quisessem fazer o mesmo feito. Assim, uma das empresas que estavam na lista dos especuladores era a gigante da telefonia Apple.

No entanto, o que fez com que as expectativas ficassem ainda maiores em torno de uma moeda da empresa, foi o fato de um executivo da Apple declarar a CNN que a empresa estava de olho nas criptomoedas.

Essa ideia parecia ainda mais sólida devido às formas que a Apple vem atuando no mercado.

Assim a empresa lançou o Apple Pay, que seria uma espécie de carteira virtual da empresa e o Apple card, que é um cartão de crédito. Com isso, a empresa entra para uma lista de investidoras sérias do mercado financeiro.

Alguns especialistas chegaram a dizer que essa entrada da empresa no mercado de criptomoeda seria uma nova forma de monetizar, equilibrando a balança devido à queda na procura dos iPhones. Dessa forma, o setor de serviços é responsável atualmente por ⅓ dos lucros da empresa. Contudo este número tende a aumentar com as iniciativas da empresa como por exemplo Apple TV+ e o Apple Arcade — streaming de séries e filmes “premium” e serviço de games hospedados na nuvem, respectivamente.


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!


Postagens recentes

1 De 174