/Pegando Fogo

A Tecnologia BlockChain parece estar correndo para fazer parte do nosso dia a dia. A cada dia que passa atividades das mais diversas aderem a esta tecnologia. Aqui na Diário Prime, nós já mostramos inúmeras delas e agora segue mais uma para a lista. Você já pensou em comer boi abatido com o auxílio da Tecnologia BlockChain?

Pois é, agora os frigoríficos estão utilizando esta tecnologia para auxiliar nos trabalhos diários.

Tecnologia BlockChain: Frigorífico Brasileiro aderi a BlockChain e Inteligência Artificial - Dinheiro Digital
Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Tecnologia BlockChain: Frigorífico Brasileiro aderi a BlockChain e Inteligência Artificial


Blockchain
Frigorífico aderi a tecnologia blockchain para o abate dos bois.

O boi com Tecnologia BlockChain

A Frigol, um frigorífico 4.0 está utilizando a Tecnologia BlockChain mais a inteligência artificial para melhorar e agilizar o seu trabalho no frigorífico.

Os 3 mil bois que chegam diariamente ao frigorífico, passam a ser rastreados pela tecnologia BlockChain e depois de abatido a inteligência artificial qualifica a carcaça.

Assim o grupo que tem 22% da sua produção exportada, passa a ser quase que totalmente 4.0.

Sendo assim, todo o processo dentro da indústria é automatizado, gerenciado por uma plataforma de módulos de internet (IoT).

Para isso, o sistema conta com sensores, câmeras, balanças, leitores. Estes estão espalhados por toda a fábrica.

“Essas tecnologias trabalham em conjunto para oferecer total garantia: da pesagem à desossa”, completa Orlando Negrão, diretor de operações do Frigol.

- Advertisement -

Sendo assim, a empresa se destaca por buscar assegurar a transparência para os seus fornecedores.

Para isso a carcaça bovina é avaliada em diferentes fases do processo de abate.

  1. Pesagem de precisão é feita logo na chegada do animal
  2. Leitores de códigos de barras fotografam as carcaças várias vezes durante o processo
  3. Um computador devidamente alimentado por algoritmos é responsável pela classificação das carcaças.

A empresa que tem 5 unidades espalhadas pelo país, produz 180 toneladas de carne anualmente. Agora, está em uma nova fase, já que conseguiu recentemente a liberação para exportar para a china.

Assim a empresa também conta com o arsenal tecnológico para orientar os pecuaristas em “iniciativas de bem-estar” animal, melhoria da produção e processos (inclusive nas indústrias).

Benefício para o consumidor

Com toda essa tecnologia o consumidor também é beneficiado. Afinal, tem total tranquilidade para escolher o seu corte, já também é disponibilizado para eles o rastreamento completo dos animais.

Tudo feito com toda a transparência e segurança que a Tecnologia BlockChain proporciona.

Luciano Pascon, CEO da empresa disse:

Na ponta, os consumidores também podem escolher os seus cortes com tranquilidade pois têm acesso à rastreabilidade completa dos alimentos, proporcionando transparência, segurança e garantia de origem”


Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!


Postagens recentes

1 De 174