Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Streamer com deficiência zera um jogo insano usando apenas o queixo

O jogo Jump King é um sucesso na internet. Simples, mas extremamente difícil, ele provocou a ira de muitos streamers, como os brasileiros Alanzoka e Igor 3K. No entanto,o americano Sean “HandicapableOne” Cahill conseguiu a proeza de terminar o jogo e suas expansões usando apenas o queixo.

Sean tem Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), um distúrbio hereditário que causa fraqueza muscular progressiva. Por isso, ele não tem forças nas mãos para usar um controle ou teclado. Mas a deficiência não o impediu de finalizar Jump King, um dos jogos mais difíceis da atualidade.

O americano é gamer desde criança. Apesar de ter nascido com DMD, quando era mais novo, o distúrbio não trazia dificuldades para ele curtir seus jogos preferidos. Mas, conforme a doença foi progredindo, ele se viu impossibilitado de usar as mãos para controlar os jogos, então, teve que se adaptar.

Siga o Diário Prime no Google News. Receba de graça os melhores conteúdos, Loterias, Futebol ao Vivo, Finanças, em primeira mão.

Usando um joystick de PS4 montado em um suporte e um software para converter os comandos para o PC, Sean consegue controlar o jogo com o queixo, executando movimentos precisos.

Reprodução do Twitch de HandicapableOne
Reprodução do Twitch de HandicapableOne

Leia também: Super Nintendo World: saiba tudo sobre o parque temático da Nintendo

Jump King, o jogo do rage interminável

O jogo Jump King tem uma premissa simples, o jogador deve chegar ao topo de um castelo para encontrar uma princesa. Para subir, é preciso pular de uma plataforma para outra. O problema é que os saltos vão ficando cada vez mais difíceis e uma queda pode fazer com que boa parte do progresso seja perdido.

Os controles são sensíveis, o tamanho do salto depende de quanto tempo o botão de pulo é pressionado. Além disso, o terreno e a condição do vento também afetam a movimentação do personagem. Normalmente, são milhares de quedas antes de se conseguir terminar o jogo. Mas a maioria desiste antes disso.

O streamer brasileiro Igor 3K chamou Jump King de “jogo do rage interminável“, pela frustração que ele causa.

Alazonka, considera o pior jogo da vida dele, em termos de dificuldade, junto com Pogostuck, e afirmou que “este jogo é para ter raiva“. Em sua live de natal, o criador de conteúdo twittou sobre Jump King:

Você pode gostar: Free Fire: veja como receber quatro skins permanentes gratuitas

Seguindo o sonho de ser streamer

Jump King não foi o primeiro jogo que “HandicapableOne” transmitiu. Depois de instalar o suporte, ele primeiro tentou Hearthstone. O card game digital exige menos coordenação, tendo maior foco na estratégia.

Mas Sean não curtiu tanto o jogo. Então, experimentou outros, até que em dezembro encontrou Jump King e finalizou a campanha principal. O fato chamou a atenção de muitas pessoas, mas foi agora, com a conclusão do DLC Ghost of the Babe, que sua história viralizou.

Durante as lives jogando a última atualização de Jump King, ele teve uma média de apenas quatro pessoas assistindo. Mas, depois que venceu a expansão e seu feito se tornou conhecido, as coisas mudaram. O clipe de sua vitória já tem mais 80 mil visualizações no Twitch.

Agora que concluiu todo o conteúdo de Jump King, Sean está se dedicando a zerar o aclamado jogo Dark Souls. Mas ele não esquece o game que o tornou famoso e afirma que jogará todo as DLCs que forem lançadas.

No Brasil, temos alguns exemplos de jogadores que superam a dificuldade para seguir o sonho de ser streamer. Como o Firmezinha, que faz lives de vários games jogando com os pés.

Confira também a nossa matéria sobre a visita que ele e Gabriel “FalleN” Toledo fizeram à AACD:

Pro player de CS:GO FalleN emociona crianças da AACD