Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Magic Paula completa 59 anos, relembre sua trajetória

A coluna NBB ao vivo traz todas as informações sobre o campeonato brasileiro de basquete. No último dia 11 de março, a ex-jogadora de basquete Maria Paula da Silva, conhecida como Magic Paula, completou 59 anos. A ex-armadora construiu uma carreira repleta de conquistas e formou uma dupla icônica com a lendária Hortência Marcari.

Mesmo aposentada há mais de vinte anos, Paula ainda é respeitada como uma das maiores jogadoras da história do basquete feminino. O apelido “Magic” é uma referência ao lendário armador da NBA, “Magic” Johnson. Acompanhe tudo sobre NBB ao vivo no dbol.

Paula no começo da carreira. Foto: reprodução/Facebook
Paula no começo da carreira. Foto: reprodução/Facebook
Siga o Diário Prime no Google News. Receba de graça os melhores conteúdos, Loterias, Futebol ao Vivo, Finanças, em primeira mão.

Veja Mais: Com UFC Londres Cancelado, Lutadores Migram Para Cage Warriors 113

Paula: início de carreira

Nascida na cidade de Osvaldo Cruz, em São Paulo, Paula começou a jogar em 1972, com apenas 10 anos. Dois anos depois, ela foi contratada pelo Assis Tênis Clube. No entanto, a equipe deixou de existir dezoito meses após a contratação da armadora.

Posteriormente, Paula foi para a cidade de Jundiaí, onde defendeu o Colégio Divino Salvador. A jovem se destacou tanto que, depois de três meses no Divino, foi convocada para a seleção brasileira principal com apenas 14 anos.

Após uma passagem bem sucedida pelo Divino, Paula foi contratada pela Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) em 1980. Ela atuaria nessa equipe por oito anos.

Amadurecimento e auge

Após encerrar sua passagem pela Unimep em 1988, a armadora novamente assinou contrato com Divino Salvador, mas sua passagem foi curta. Ela foi jogar na Europa em 1989, em um time espanhol chamado Tintoretto. 

Infelizmente, sua passagem pelo Velho Continente durou pouco, pois ela voltou para o Brasil oito meses depois por conta de uma lesão no joelho. Mesmo machucada, o BCN Piracicaba resolveu contar com os serviços de Paula em 1991.

Após duas temporadas pelo time de Piracicaba, Paula foi para o time da Ponte Preta em 1994, onde formou uma lendária dupla com Hortência. Na equipe campineira, as duas foram importantíssimas para a conquista do mundial de clubes. Depois de algumas brigas com Hortência, Paula resolveu sair da Ponte Preta em 1994 e retornou ao Unimep, onde ficou até 1996.

Veja Mais: NBB Ao Vivo: Jogo Entre Pato Basquete E CAP Paulistano Seria Realizado Com Portões Fechados

Paula: final de carreira

Depois de sair do Unimep, Paula foi para o Microcamp, onde conquistou o seu oitavo título paulista. Depois disso, a veterana de 39 anos foi para o BCN Osasco no começo do ano 2000. Essa foi a sua última equipe, pois, após uma carreira de 27 anos, Paula se aposentou das quadras.

Paula em seu jogo de despedida. Foto: reprodução/Youtube
Paula em seu jogo de despedida. Foto: reprodução/Youtube

Trajetória na seleção

Após ser convocada pela primeira vez em 1976, aos 14 anos, Paula se tornou titular da seleção brasileira no ano seguinte. Em 1977, ela foi campeã vice-campeã sul-americana e, um ano depois, foi campeã da competição pela primeira vez. Em 1979, ela disputou o seu primeiro mundial de seleções e a equipe ficou em 9º lugar.

Em 1983, Paula foi convocada para o seu segundo mundial e o Brasil ficou em 5º lugar. Nesse mesmo ano, a seleção canarinha ganhou a medalha de bronze no Pan-americano de Caracas. Em 1986, o Brasil ficou em 11º lugar no mundial, porém, foi campeão sul-americano.

Década de 90: anos de glória

Em 1991, Paula e Hortência entraram para história do basquete brasileiro, pois foram importantíssimas para o título Pan-americano. Além de vencer a anfitriã Cuba na final, o Brasil venceu os Estados Unidos durante a campanha. No ano seguinte, a equipe se classificou para as Olimpíadas de Barcelona e ficou em 7° lugar.

Em 1994, veio o grande momento de Paula e Hortência. Jogando muito bem, a dupla foi a chave para que o Brasil conquistasse o Mundial de Basquete daquele ano. Após vencerem novamente as norte-americanas, elas bateram a China na final e ficaram com a taça.

Paula e Hortência (roupa azul) juntas. Foto: reprodução/Twitter
Paula e Hortência (roupa azul) juntas. Foto: reprodução/Twitter

Dois anos depois, a seleção foi para as Olimpíadas de Atlanta e conseguiu uma medalha de prata. Elas perderam na final do torneio para os Estados Unidos. Em 1997, Paula foi campeã da Copa América com Brasil, naquele que foi o seu último torneio com a seleção após 21 anos.

Veja Mais: Fórmula 1: Renault Não Descarta Ir Atrás De Piloto Da Ferrari

Legado

No ano de 2005, Paula foi integrada ao Hall da Fama do Basquete Feminino. Em abril de 2006, ela foi convidada para participar da cerimônia de homenagem em Knoxville, no Tennessee (EUA).