Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Fórmula 1: Terrível acidente de Barrichello em Ímola completa 26 anos

No dia 29 de abril de 1994, o piloto Rubens Barrichello sofria seu mais forte acidente na Fórmula 1. Durante o primeiro treino oficial para o GP de Ímola, o piloto escapou na variante baixa, foi catapultado pela zebra e quase foi parar nas arquibancadas. O monoposto ficou destruído e o brasileiro desacordado.

Aquela imagem da Jordan decolando e capotando sobre a barreira de pneus foi o presságio do seria o mais terrível final de semana da Fórmula 1 moderna. No sábado houve a morte de Roland Ratzenberger e no domingo a de Senna. De acordo com o próprio Barrichello, ele esteve morto por seis minutos.

Fórmula 1: piloto chegou a Ímola como vice-líder do campeonato

Siga o Diário Prime no Google News. Receba de graça os melhores conteúdos, Loterias, Futebol ao Vivo, Finanças, em primeira mão.

Leia Também: Há 26 anos Rubens Barrichello conquistava seu primeiro pódio

As expectativas para o GP de Ímola eram as melhores possíveis. Rubens Barrichello havia acabado de conquistar seu primeiro pódio na Fórmula 1 com o terceiro lugar no GP do Pacífico, em Aida, no Japão. Além disso, ele havia chegado a Ímola na condição de vice-líder, atrás apenas de Michael Schumacher, da Benetton.

Apesar da situação no campeonato ser melhor do que o esperado, o piloto sabia que em condições normais seu carro não lhe daria condição de chegar ao pódio. Ele então tentou tirar o máximo que podia de seu equipamento, mas tamanha determinação cobrou seu preço e seu final de semana acabou naquela tarde de sexta-feira.

Carro de Barrichello capota após bater na barreira de pneus. Crédito: Twitter do piloto
Carro de Barrichello capota após bater na barreira de pneus. Crédito: Twitter do piloto

Fórmula 1: a dinâmica do acidente de Barrichello

Após o décimo lugar nos treinos livres, Barrichello queria ir além. Mas logo na primeira volta lançada do treino oficial de sexta ele tentava fazer um bom tempo ele cometeu um erro que lhe tirou da corrida. O piloto entrou forte demais na variante baixa e subiu com violência na zebra, que possuía uma angulação que permitiu que o carro decolasse.

A Jordan número 14 subiu a mais de um metro do chão, bateu de bico na barreira de pneus, capotou algumas vezes e caiu de lado. Quando os fiscais viraram o carro, Barrichello estava desacordado.  Posteriormente ele disse não se lembrar do momento do acidente.

Fórmula 1: Barrichello diz que morreu por seis minutos

Apesar da violência do acidente, o piloto teve uma fratura no nariz e uma luxação em uma costela. Mas as consequências poderiam ter sido bem piores não fosse o rápido trabalho da equipe médica. Com a batida, ele engoliu a língua. Barrichello posteriormente foi informado pelo Dr. Sid Watkins que esteve morto por seis minutos. O impacto da batida provocou uma força de 90G, que seria 90 vezes o peso de seu corpo.

Leia Também: Há 31 anos Ferrari de Gehard Berger ardia em chamas no GP de Ímola

Levado para o centro médico, o piloto recebeu a visita de Ayrton Senna, que teve que pular o muro para ter acesso ao colega de pista. Na saída o tricampeão deu entrevista e disse que Barrichello estava bem e que não havia sofrido nenhuma fratura. Os dois voltariam a se encontrar pela última vez no sábado.

Momento em que Senna e Barrichello se encontram pela última vez na Fórmula 1. Crédito: reprodução
Momento em que Senna e Barrichello se encontram pela última vez na Fórmula 1. Crédito: reprodução

Sem poder participar do restante das atividades, Barrichello voltou para a Inglaterra no domingo pela manhã, horas antes da fatídica corrida, mas ainda no sábado, da cabine da Rede Globo assistiu o acidente fatal de Roland Ratzenberger. Duas semanas o brasileiro já estava acelerando nas ruas de Mônaco.

Leia Também: Há 35 anos Ayrton Senna conquistava sua primeira vitória