Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Mais Lidas

Todo mundo comentando

Seguro DPVAT: Veja como é feito o cálculo para indenização

Assistas aos melhores vídeos clicando aqui
Não perca nenhum conteúdo de nosso Blog. Clique no botão abaixo e fique atualizado!

Muita gente não sabe mas, quem sofreu algum tipo de acidente de trânsito tem direito a receber uma indenização pelos danos sofridos, o chamado seguro DPVAT. E o valor reflete justamente o grau das complicações do acidentado.

Confira agora como é feito o cálculo da indenização do seguro DPVAT.

Seguro DPVAT: Veja como é feito o cálculo para indenização
Seguro DPVAT: Veja como é feito o cálculo para indenização

Cálculo da indenização por invalidez permanente – Seguro DPVAT

Mediante o cálculo disponibilizado em tabela são estabelecidos percentuais proporcionais ao tipo de lesão e à gravidade dos danos sofridos pelas vítimas de acidentes de trânsito. Veja agora como é feito o cálculo para pagamento de indenização do seguro DPVAT.

Tabela de cálculo DPVAT referente à invalidez permanente

Danos corporais totais – 100% da importância segurada

  • Perda anatômica e/ou funcional completa, de ambos os membros superiores ou inferiores;
  • Perda anatômica e/ou funcional completa de ambas as mãos ou de ambos os pés;
  • Perda anatômica e/ou funcional completa de um membro superior e de um membro inferior;
  • Perda completa da visão em ambos os olhos (cegueira bilateral) ou cegueira legal bilateral;
  • Lesões neurológicas:
    (a) dano cognitivo-comportamental alienante;
    (b) impedimento do senso de orientação espacial e/ou do livre deslocamento corporal;
    (c) perda completa do controle esfincteriano e
    (d) comprometimento de função vital ou autonômica;
  • Lesões de órgãos e estruturas crânio-faciais, cervicais, torácicos, abdominais, pélvicos ou retro-peritoneais causando prejuízos funcionais não compensáveis de ordem autonômica, respiratória, cardiovascular, digestiva, excretora ou de qualquer outra espécie, desde que haja comprometimento de função vital.

Danos corporais segmentares (parciais) – 70% da importância segurada

  • Perda anatômica e/ou funcional completa de um dos membros superiores e/ou de uma das mãos;
  • Perda anatômica e/ou funcional completa de um dos membros inferiores
  • Danos corporais parciais – 50% da importância segurada
  • Perda anatômica e/ou funcional completa de um dos pés
  • Perda auditiva total bilateral (surdez completa) ou da fonação (mudez completa), bem como da visão de um olho

Danos corporais parciais – 25% da importância segurada

  • Perda completa da mobilidade de um dos ombros, cotovelos, punhos ou dedo polegar;
  • Perda completa dos movimentos do quadril, joelho ou tornozelo;
  • Perda completa do controle de um segmento da coluna vertebral, exceto o sacral.

Danos corporais parciais – 10% da importância segurada

  • Perda anatômica e/ou funcional completa de qualquer um dentre os outros dedos da mão;
  • Perda anatômica e/ou funcional completa de qualquer um dos dedos do pé;
  • Perda integral (retirada cirúrgica) do baço.

Reembolso de despesas médicas e hospitalares

Além da indenização relativa aos danos permanentes causados por acidente de trânsito, os hospitais vinculados ao Serviço Único de Saúde (SUS) não podem cobrar do seguro DPVAT o atendimento médico-hospitalar prestado às vítimas. Portanto, esse impedimento legal tem como objetivo:

  • resguardar o direito da vítima, e
  • garantir que a indenização suporte as despesas decorrentes do acidente.

Assim, a cobertura de reembolso referente a despesas médicas e suplementares, conhecida pela sigla DAMS, é destinada exclusivamente às vítimas de acidentes de trânsito, não sendo possível a cessão de direitos.

Veja também: Seguro automotivo x proteção veicular: qual o melhor para o seu carro?

Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!