Isoton pede que DDG seja produzido em Nova Mutum

O sub-produto do etanol tem maior valor proteico e é adaptável a vários tipos de animais; entenda

0
393
Ver. Osmar Isoton / Fonte: www.novamutum.mt.leg.br
Ver. Osmar Isoton / Fonte: www.novamutum.mt.leg.br

O vereador Osmar Isoton (CDN), fez uma indicação na 21ª Sessão Ordinária (06.07), para que a Secretaria de Indústria e Comércio possa intervir junto à INPASA, para criar uma base de atendimento aos pequenos produtores de Nova Mutum. O objetivo final, é suprir o fornecimento do derivado do milho, conhecido como DDG. 

Segundo o documento nº 087/2020, disponibilizar uma demanda suficiente deste produto, viabiliza a criação de animais no município. Uma vez que o DDG é altamente aceitável nas diversas espécies de animais, por ser de alto valor proteico. Além de ser de fácil armazenamento. 

“Ao disponibilizar este produto, a empresa passa a desenvolver um trabalho social para os micro e pequenos produtores rurais locais. E desta forma, com as criações bem nutridas, fortalecemos a produção de carne e leite, que são utilizados na alimentação da nossa população”, explicou o parlamentar. 

A proposta foi aprovada por unanimidade, por todos os vereadores presentes na Casa. E será encaminhada para a devida secretaria. 

DDG de milho / Fonte: www.novamutum.mt.leg.br
DDG de milho / Fonte: www.novamutum.mt.leg.br

DDG

O DDG (Do Inglês: Dried Distillers Grains ou Grãos Secos de Destilaria) é um sub-produto gerado a partir do etanol. De acordo com a União Nacional do Etanol e Milho (UNEM), o produto é o grão de milho seco por destilação.

Além disso, este farelo proteico é usado há muito tempo por pecuaristas em países como Estados Unidos, Argentina e Paraguai. Com a expansão do mercado do etanol de milho no Brasil, o DDG começa a ser ofertado no mercado nacional e mesmo internacional, competindo com a nutrição animal à base de soja.

Entretanto, ainda segundo a União, no Brasil, o produto começou a ser produzido em 2010, em três usinas flex do estado de Mato Grosso. Logo, em 2013 e 2014, o DDG entrou para alguns confinamentos mato-grossenses em substituição ao farelo de soja nas dietas de bovinos. O sucesso foi absoluto. O teor de proteína bruta (PB) do DDG varia entre 26 e 30%.

Atualmente, além de Mato Grosso, outros estados também começaram a usufruir do produto, para a pecuária. Entre eles estão Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais.

Outra propositura que o vereador Osmar Isoton, também apresentou nesta segunda, foi a extensão do atendimento bancário por mais duas horas. A fim de evitar filas e aglomerações em tempos de pandemia.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here